Hatematter lança seu quarto álbum de estúdio “Antithesis”.

Foto: Divulgação

A Hatematter começou sua jornada em 2007, em São Paulo/SP, com a meticulosa exploração de texturas sonoras, visando a criação de um estilo de Metal agressivo, sem, no entanto, comprometer a melodia. Suas influências abrangem um espectro diversificado dentro do Melodic Death/Groove Metal, que vai desde bandas como Carcass, Nevermore, In Flames e At the Gates até nomes como Hypocrisy, Grave Digger, Blind Guardian e Iced Earth.

No final de 2021, em um período marcado pela crise da pandemia de COVID-19, André Buck e Thiago deram início à criação de novo material, sob a orientação do fundador, baixista e arranjador André Martins. Apesar das limitações impostas pela distância, esse árduo trabalho se materializou no final de 2022, culminando na conclusão de “Antithesis”, com todas as faixas escritas e prontas para serem gravadas.

 “Inspirados por uma série de eventos marcantes que moldaram a etapa de composição do álbum, incluindo a desafiadora pandemia que nos obrigou a adotar novos métodos de trabalho e a dolorosa perda do nosso irmão Gustavo, lançando uma sombra sobre o processo, este álbum busca habilmente fundir as diversas influências de cada membro da banda. Respeitando a individualidade de cada integrante, aproveitamos a oportunidade para enriquecer nosso som e estimular nossa criatividade de maneira única. O resultado final é uma sinergia de diversos estilos do metal, com cada faixa apresentando uma proposta distintiva. No entanto, conseguimos costurar essas variações de forma coesa, mantendo uma temática de ficção científica que tem sido uma constante nos últimos lançamentos da banda”. André Buck (guitarra principal).

As sessões de gravação aconteceram no Casanegra Studios, com a experiente supervisão de Rafael Augusto Lopes, e se estenderam por um período de 90 dias, garantindo uma produção meticulosa e cuidadosa. Além disso, a banda teve a honra de contar com a participação especial da incrível Mayara Puertas, a voz poderosa por trás da lendária Torture Squad na faixa “Liberate Me”.

“Esta é nossa última homenagem a Gustavo, com uma música dedicada exclusivamente a ele. A atmosfera desta faixa é notavelmente mais introspectiva do que as demais, destacando a melodia e os vocais como elementos centrais. Eu defendi a inclusão de um solo nesta música, onde procurei incorporar uma melodia rica, algo que Gustavo sempre valorizou profundamente em sua abordagem musical. Para mim, este solo se destaca como um dos momentos mais memoráveis do álbum.” André Buck (guitarra principal).

A formação da Hatematter que gravou “Antithesis” foi: Luiz Artur (vocais), André Martins (baixo), André Buck (guitarra principal), Thiago M. Ribeiro (guitarra rítmica e vocais), Rafael Augusto Lopes (sintetizadores e orquestrações) e Marcus Dotta (bateria e percussão), sendo que para a continuidade da banda Marcus Dotta acabou cedendo o lugar para André Kim.

Release por JZ PRESS

Links Relacionados:

Facebook: https://www.facebook.com/hatematterofficial
Instagram: https://www.instagram.com/hatematter
Spotify: https://sptfy.com/hatematter
Youtube: https://www.youtube.com/hatematter
E-mail: hatematter@gmail.com

JZ Press
“Sua arte em evidência!”
E-mail: jzpress@metalnalata.com.br
Facebook: www.facebook.com/jzpressassessoria
Instagram: www.instagram.com/jzpressassessoria

JEFF FERREIRA

Jeff Ferreira. Foto: Divulgação.

Author

Jeff Ferreira é baixista, nerd e nas horas vagas roadie Escreve sobre música, pautas de entrevista há 5 anos. Colaborador da Rock FM Brasil (https://instagram.com/rockfmbrasil), Garagenroll e trabalha com bandas do interior e da grande São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *