Festival Acessa BH: Espetáculos teatrais protagonizado por pessoas com deficiência segue até 31/10

Festival Acessa BH segue com programação até 31 de outubro dando protagonismo às pessoas com deficiência

Nesta segunda semana do evento, o público pode acompanhar, virtualmente, apresentações de companhias do Paraná e de São Paulo

 

Durante os meses de setembro e outubro, o Festival Acessa BH, traz a pauta da inclusão aos palcos e telas de centenas de pessoas. Em sua segunda edição, com cerca de 50 atrações, o evento tem como intuito dar protagonismo às pessoas com deficiência. Espetáculos teatrais, de dança, música e literatura além de oficinas, debates e rodas de conversa estão na programação, gratuita.

Nesta segunda semana de festival, companhias de teatro do Paraná e de São Paulo se apresentam virtualmente, no canal

A Cia Fluctissoante, um coletivo teatral curitibano formado por artistas surdos e ouvintes que pesquisam a criação cênica bilingue, em Libras e portugués, trará o espetáculo “Elevador”, que vai ao ar  no dia 09/09, sexta-feira, às 20h. No dia 10/9, sábado, às 20h, a Cia Dança sem Fronteiras (SP), apresenta “Ciranda de Retina e Cristalino”.

E estão abertas as inscrições para o Seminário, que promoverá quatro debates, e també para as oficinas #ForadaCaixa – Acessibilidade Criativa para Projetos Culturais e para a Mostra de processo do espetáculo “O Barco”,  da Cia Fluctissonante (PR). As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo link: https://acessabh.com.br/inscricoes/

Os debates e oficinas são online, e acontecem na plataforma zoom

Sinopses espetáculos

9/9 – sexta-feira – 20h – “Elevador” – Cia Fluctissoante

Um grupo de artistas brasileiros reúne-se para encenar um texto já apresentado centenas de vezes na história do teatro. Em sua estreia, os três – um ator idoso, uma atriz surda e uma diretora ouvinte – são surpreendidos pela presença de um espectador cadeirante no térreo do teatro: o elevador de acesso ao auditório está quebrado. Esta ocasião, então, dá sequência a alguns fragmentos de seus processos criativos: do espetáculo que estreariam na mesma noite; e dos olhares plurais que lançam em relação aos dias em que vivem.

10/09 – sábado – 20h – “Ciranda de Retina e Cristalino” – Companhia de Dança sem Fronteiras

Ciranda de Retina e Cristalino é um documentário-espetáculo, criado durante a pandemia e que aborda com sutileza e delicadeza muitos dos temas dos últimos anos. O espetáculo apresenta diversos personagens incluindo a Retina, mulher com baixa visão que baila atrás de sua janela; Cristalino, jovem com baixa visão que se equilibra fazendo malabarismos na penumbra com sua bengala verde e sua roda iluminada; Cecília, jovem que baila com seu olho roda com grandes cílios e Iris e Corneia, dançarinas com duas faces, que dançam e refletem suas imagens em um grande espelho, Desfocado dança com sua pequena roda em sua cadeira de rodas. Todos isolados em seus círculos, mas conectados por suas narrativas corporais que, às vezes, se unem em uma só coreografia formada por diversos corpos e olhares que os levam a uma grande ciranda da memória.

Toda a programação pode ser conferida abaixo:

Programação – Espetáculos online – disponíveis em  www.youtube.com/AcessaBH

  • 09/09 – 20h – Elevador – Cia. Fluctissonante (PR)
  • 10/09 – 20h – Ciranda de Retina e Cristalino – Cia Dança sem Fronteiras (SP)
  • 13/09 – 19h – Live com artistas

Fernanda Amaral e Gabriel Sousa Domingues, da Cia Dança sem Fronteiras e Mateus Costa e Fernanda Rosa, do Duo A Corda em Si

Mediação Brisa Marques

  • 19/09 – 19h – Bate-papo sobre teatro inclusivo e apresentação do ETA Festival! – Esquetes de Teatro Acessível – Escola de Gente (RJ) – Os Inclusos e Os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade
  • 20h – Ninguém mais vai ser bonzinho – Os Inclusos e os Sisos – Escola de Gente (RJ)
  • 20/09 – 19h – Live com Maestro João Carlos Martins seguida de apresentação
  • Mediação Brisa Marques
  • 21/09 – 19h45 – Mediação Só se fechar os olhos
  • 20h – Só se fechar os olhos – Coletivo Desvio Padrão (SP) | Sessão seguida de bate papo
  • 22/09 – 19h45 – Mediação Para Além do Gesto
  • 20h – Para além do gesto – Coletivo Desvio Padrão (SP) | Sessão seguida de bate papo
  • 26/09 –20h – O Som da Pele (PE)
  • 01/10 – 20h – Ah, se eu fosse Marylin! – Edu O. (BA) 
  • 04/10 – 20h – Motus – Congresso Internacional do Medo – Cia Ananda (MG)
  • 06/10 – 19h – Live com artistas
  • João Paulo Lima, Anamaria Fernandes e Juliana Saúde

Mediação Brisa Marques

  • 07/10 – 20h – A Corda em Si (SC)
  • 08/10 – 16h – DoroTEA – A Peixinha Autista – Bruno Grossi (MG)
  • 11/10 – 20h – N’Otro Corpo – João Paulo Lima (CE)
  • 12/10 – 16h – O Pequeno Príncipe – Cia Fluctissonante (PR)
  • 13/10 – 20h – Frida – Vanessa Cornélio (SP)
  • 17/10 – 19h – Live com artistas
  • Giovanni Venturini, Vanessa Cornélio e Mona Rikumbi

Mediçao Brisa Marques

  • 24/10 – 20h – Ave – Cia Ananda e Sapos e Afogados 
  • 25/10 – 20h – A Não Ser – Giovanni Venturini (SP)
  • 26/10 – 20h – Cartas para Irene – Oscar Capucho (MG) 
  • 27/10 – 20h – Kiuá Matamba – Salve a Força dos Ventos – Mona Rikumbi (SP) 
  • 29/10 – 16h – A Chuva é importante – Lucas Ramon (MG)
  • 31/10 – 20h – Húmus – Coletivo. Direção Renata Mara (MG)

Programação – Espetáculos presenciais:

  • 16 e 17/09, sexta e sábado, às 20h: Cabra-Cega (Pigmentar Companhia) no Galpão Cine Horto
  • 18/09, domingo, às 19h: Cartas para Irene (Oscar Capucho) no Galpão Cine Horto
  • 23 e 24/09, sexta e sábado, às 20h: Pisca Devagar (Renata Mara e Brisa Marques) no Galpão Cine Horto
  • 21/10, sexta-feira, às 20h: Caixa Preta (Sapos e Afogados) no Teatro Raul Belém Machado
  • 22/10, sábado, às 10h e 16h: Lágrimas da Floresta (Cia Ananda) no Teatro Raul Belém Machado – Espetáculo sensorial. Capacidade reduzida, 40 crianças por sessão (07 a 14 anos)
  • 23/10, domingo, às 19h: Ave (Cia Ananda e Sapos e Afogados) no Teatro Raul Belém Machado – Sessão seguida de roda de conversa com artistas

Programação – Atividades formativas online

Debates no canal do www.youtube.com/AcessaBH

Debate 1 – Diversidade e Direitos Culturais

  • Quando: Dia 14/09, quarta-feira, às 19h

Nesse debate, Ciça Cordeiro e Isadora Nascimento apresentarão dados sobre a pessoas com deficiência no Brasil, a LBI – Lei Brasileira de Inclusão (Lei 13.146/2015), a acessibilidade como direito, as conquistas do movimento de PcD e a importância da acessibilidade atitudinal, comunicacional e mobilidade urbana para o acesso à cultura. Com mediação de Fatine Oliveira, o debate ainda abordará a deficiência da perspectiva de raça e gênero.

Ciça Cordeiro – Jornalista, Consultora em Diversidade e Inclusão na Talento Incluir, Gestora em Cultura Inclusiva, Comunicação e Eventos Acessíveis

Isadora Nascimento – Advogada com especialização em cidadania e direitos humanos no contexto das políticas públicas e em advocacia feminista e direitos da mulher. Produtora de conteúdo com pautas sobre a intersecção de gênero, raça e deficiência. Integra o Movimento Vidas Negras com Deficiência Importam

Mediação: Fatine Oliveira – Publicitária, mestre em Comunicação Social (UFMG). É ativista, cofundadora do Coletivo Feminista Helen Keller mulher com deficiência, integrante do Movimento Vidas Negras com Deficiência Importam

Debate 2 – Acessibilidade em Espaços Culturais

  • Quando: Dia 28/09, quarta-feira, às 19h

Acessibilidade em Espaços Culturais – a cultura é para todos

Como as instituições culturais podem posicionar a acessibilidade no centro de seus projetos? Como ampliar as discussões acerca da presença e permanência de pessoas com deficiência como agentes culturais e visitantes? É possível pensar a acessibilidade em espaços culturais para além de adaptações? Neste debate, a arquiteta Silvia Arruda e a educadora e psicóloga Daina Leyton conversam acerca das principais barreiras, desafios e perspectivas de tornar os espaços culturais mais acessíveis. Mediado pelo educador e gestor educativo Danilo Filho, o bate papo abordará questões relacionadas à acessibilidade física e instrumental, passando ainda pelas práticas educativas e atitudinais que garantem não só o acesso, como também a fidelização de pessoas com deficiência a museus e instituições de cultura.

Daina Leyton – Educadora, professora, psicóloga e consultora de acessibilidade cultural

Silvia Arruda – Arquiteta e cenógrafa com especialização em acessibilidade. Mãe atípica

Mediação: Danilo Filho – Coordenador Educativo CCBB-BH

Debate 3 – Como os cegos leem

  • Quando: Dia 05/10, quarta-feira, às 19h

Muito além do braille: como a tecnologia tornou a literatura mais acessível e interessante às pessoas com deficiência visual. Tecnologia assistiva: sistemas operacionais, aplicativos e leitores de tela.

Carla Mauch – Pedagoga, pesquisadora de educação inclusiva e coordenadora-geral da organização Mais Diferenças — Educação e Cultura Inclusivas

Marcos Lima – Jornalista, palestrante, youtuber

Mediação: Cleide Fernandes – Bibliotecária na Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais e audiodescritora

Debate 4 – Encontro com Artistas

  • Quando: Dia 19/10, quarta-feira, às 19h

Artistas com deficiência compartilham suas experiências

Brenda Martins – Atriz surda e negra. Integrante do Grupo Signatores, grupo composto por atores surdos

Renata Mara – Artista de dança, docente, pesquisadora e psicóloga com baixa visão.

Mediação: Brisa Marques – Artista, escritora, letrista e jornalista

Oficina #ForadaCaixa – Acessibilidade Criativa para Projetos Culturais

Ementa: A oficina tem como objetivo inspirar e desenvolver estratégias criativas de acessibilidade para projetos culturais alinhados aos fundamentos técnicos da área. Inicialmente, serão apresentados os fundamentos da acessibilidade comunicacional, do Desenho Universal e dos princípios da acessibilidade criativa e artística. Em seguida, será construída uma demonstração de proposta acessível para um projeto cultural imaginário.  As aulas serão conduzidas mesclando a teoria com o relato de experiências.

Ministrante: Andreza Nóbrega 

Doutoranda em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC com pesquisa envolvendo a pedagogia do teatro, a inclusão e a formação de espectadores sob a orientação do Dr Flávio Desgranges. É mestra em educação com enfoque na Educação Inclusiva (UFPE), especialista em audiodescrição (UFJF), graduada em Licenciatura em Educação Artística, com habilitação em Artes Cênicas (UFPE).  É atriz, audiodescritora, professora da rede pública de ensino e produtora cultural.  Coordenadora da VouSer Acessibilidade, é idealizadora de ações formativas e inclusivas nos projetos: Festival Conectação, Encontro de Acessibilidade Comunicacional em Pernambuco, Experiri Lab de Artista, Cine Às Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível, do Cineclube VouVer Filmes, Conectação Teatro e LABAcessibilidade Artística e Criativa.

  • Número de vagas: 30 vagas por turma

Público alvo: Artistas, produtores, gestores culturais, arte-educadores, profissionais da acessibilidade e interessados em geral.

Pré-requisito: É necessário que os alunos possuam computador ou celular com acesso à internet, áudio e vídeo. No caso de acesso pelo celular, é necessário ter instalado o aplicativo Zoom.

Cronograma Turma 1
Período de inscrição: 15 de agosto a 11 de setembro
Divulgação dos alunos selecionados: 15 de setembro
Datas das aulas: 20 e 22 de setembro
Horário das aulas: das 9h às 12h

Cronograma Turma 2
Período de inscrição: 05 a 28 de setembro
Divulgação dos alunos selecionados: 30 de setembro
Datas das aulas: 04 e 06 de outubro
Horário das aulas: das 15h às 18h

Cronograma Turma 3
Período de inscrição: 12 de setembro a 12 de outubro
Divulgação dos alunos selecionados: 14 de outubro
Datas das aulas: 18 e 20 de outubro
Horário das aulas: das 19h às 22h

Mostra de processo “O Barco” | Cia Fluctissonante (PR)

Entre agosto e setembro, a Cia. Fluctissonante desenvolverá – a convite do Acessa BH – o processo de seu novo trabalho: “O Barco”. No dia 29 de setembro, a comunidade cega interessada poderá ter um primeiro contato com a obra, através de plataforma online. Neste encontro, a atriz Helena de Jorge Portela realizará uma primeira leitura da dramaturgia criada durante o evento. Assim, o retorno do público presente impactará diretamente no resultado final do espetáculo, que tem estreia prevista para 2023.

  • Número de vagas: 20 Vagas

Público alvo: Pessoas cegas, com baixa visão ou videntes com interesse em desenvolvimento e experimentação de cenas teatrais, a partir de 16 anos.

Pré-requisito: É necessário que os alunos possuam computador ou celular com acesso à internet, áudio e vídeo. No caso de acesso pelo celular, é necessário ter instalado o aplicativo Zoom.

Cronograma
Período de inscrição: 22 de agosto a 25 de setembro
Divulgação dos alunos selecionados: 27 de setembro
Data do encontro: 29 de setembr

    Horário: das 19h às 21h30

Serviço

Apresentações presenciais: Ingressos gratuitos, disponíveis nas bilheterias dos teatros, 1 hora antes de cada espetáculo.

Endereços:

Teatro Wanda Fernandes – Galpão Cine Horto 

Rua Pitangui, 3613 – Horto – Belo Horizonte/MG

Espaço Cênico Yoshifumi Yagi – Teatro Raul Belém Machado

Rua Leonil Prata, s/n – Alípio de Melo – Belo Horizonte/MG

Programação online: gratuita no Youtube www.youtube.com/AcessaBH

Inscrições gratuitas para os debates, oficinas e mostra de processo: https://acessabh.com.br/inscricoes/

Acessibilidade: 

Espetáculos presenciais: Acessibilidade física, Audiodescrição e Libras

Espetáculos online: Audiodescrição, Libras e Legendas

Debates, lives e oficinas online: Libras e Audiodescrição. *Na live da Escola de Gente, realizada em 19/09, haverá Libras, legenda e audiodescrição em canal fechado.

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação do Portal ArteCult.com - Rio de Janeiro. Expediente: de Seg a Sex - Horário Comerciall. e-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com. Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *