DOS PALCOS PARA AS TELONAS – A COMÉDIA “DE PERTO ELA NÃO É NORMAL” CHEGA AOS CINEMAS DIA 02/04

Escrita e protagonizada por Suzana Pires, produzida pela Escarlate, com coprodução da Globo Filmes e distribuição da H2O Films, o longa conta com nomes como Ivete Sangalo, Angélica, Marcelo Serrado, Marcos Caruso, Samantha Schmütz, Gaby Amarantos, Henri Castelli, Ricardo Pereira e Heloísa Perissé. 

 

Vamos combinar? De perto ninguém é muito normal! A Suzie, personagem da Suzana Pires em De Perto Ela Não é Normal, que chega aos cinemas dia 02 de abril, até tenta, mas manter o equilíbrio é uma tarefa árdua. A comédia é uma adaptação do monólogo da atriz, que rodou os palcos de todo o país, levando mais de 500 mil pessoas ao teatro. Com produção da Escarlate Conteúdo Audiovisual e direção de Cininha de Paula (“Crô em família” e “Duas de mim”), o filme tem coprodução da Globo Filmes, distribuição da H20 Films e produção associada de Carlos Diegues. Protagonizada por Suzana Pires, que interpreta três personagens na trama, o longa conta também com um elenco de peso: Angélica, Ivete Sangalo, Marcelo Serrado, Samantha Schmutz, Henri Castelli, Gaby Amarantos, entre outros grandes atores.  O roteiro é da própria Suzana (que foi coautora, ao lado de Walter Negrão, de novelas como “Sol Nascente” e “Flor do Caribe”), que escreve pela primeira vez para o cinema, em parceria com Martha Mendonça e Renato Santos.

De forma leve, divertida e irreverente, Suzana Pires interpreta Suzie, Neide e Tia Suely, três faces femininas de uma mesma família. Suzie é o alter ego que a própria Suzana interpreta. Uma mulher madura, de 40 e poucos anos, casada e com duas filhas crescidas, que segue exatamente a vida tradicional que a sua mãe acreditava ser a correta. Esposa de seu amigo de infância, Pedrinho (Marcelo Serrado), um homem preguiçoso e sem muita opinião própria, Suzie ainda tem que lidar com Dora (Cristina Pereira), uma sogra rabugenta (leia-se insuportável – quem nunca?) que faz da vida dela um verdadeiro inferno. Sentindo-se infeliz e pressionada por tudo e por todos, ela não consegue mais se enxergar como a menina sensível e criativa que foi na infância. Quando reencontra sua Tia Suely, uma mulher livre e decidida, ela resolve dar uma guinada na vida e ir em busca de si mesma.  

 

O filme foi criado a partir do monólogo homônimo de Suzana, escrito em 2005. “Quando escrevi a peça eu estava com a necessidade de falar sobre como é difícil para uma mulher escolher uma trajetória própria, sem ser o caminho que já te apontam como certo. Eu estava em uma idade de escolhas difíceis como não me casar, e mais um monte de coisas que eram diferentes do que a maior parte das mulheres fazia, então eu queria escrever sobre isso. A gente é muito exigida de ser bem-sucedida, magra, inteligente, a mulher perfeita, e eu quis fazer uma crítica a isso, mostrar que o “chegar lá” não é o que os outros apontam, mas o que você quer definir para si mesma”, comenta Suzana Pires.

Na trama, Samantha Schmütz interpreta ‘Naninha’, a amiga de academia que tenta fazer Suzie emagrecer e ficar sarada de forma, digamos, não convencionais. Ivete Sangalo, isso mesmo, Veveta, é ‘Dayse Aparecida’, uma hilária professora de filosofia da faculdade de Direito. Angélica volta às telonas após 11 anos para interpretar Rebeca, amiga de infância de Suzie, casada com JP, interpretado por Izak Dahora. Já a cantora Gaby Amarantos faz sua estreia nas telonas, no papel de ‘Maria Pia’, uma advogada empoderada e bem-sucedida, que oferece o primeiro trabalho na área para a protagonista. Henri Castelli, também estreante nos cinemas, interpreta um Deus grego, ou quase isso, e faz par romântico com a protagonista, que também se envolve com os personagens de Ricardo Pereira e Otaviano Costa. Cristina Pereira interpreta ‘Dora’, a sogra rabugenta de Suzie e Jane Di Castro é ‘Geralda Maltêz’, chefe de departamento no INSS. O longa-metragem conta ainda com Maria Clara Gueiros, Heloisa Perissé, Marcos Caruso e uma participação para lá de especial do Orlando Drummond, o eterno Seu Peru, da “Escolinha do Professor Raimundo”.

O filme é a primeira produção brasileira a contar com a cláusula de inclusão (“inclusion rider”), que ficou mundialmente conhecida após o discurso de agradecimento da atriz Frances McDormand no Oscar de 2018. A cláusula exige um nível de diversidade tanto na construção dos personagens, quanto na escalação de elenco e equipe técnica.

 

Ficha Técnica

Direção: Cininha de Paula

Produtora: Escarlate

Coprodutora: Globo Filmes

Distribuidora: H2O Films

Produção: Joana Henning

Produção Associada: Suzana Pires, Carlos Diegues e Sandro Rodrigues

Produção Executiva: Paula Torres

Roteiro: Suzana Pires

Colaboração de Roteiro: Martha Mendonça e Renato Santos

Elenco

Suzana Pires
Ivete Sangalo

Angélica

Marcelo Serrado

Marcos Caruso

Samantha Schmütz

Gaby Amarantos

Henri Castelli

Ricardo Pereira

Heloísa Perissé

Cristina Pereira

Maria Clara Gueiros

Maria Clara Spinelli

Anna Lima, Sarajane

Jane Di Castro

Tulio Schuelter

João Bravo

 

Links dos Materiais

Trailer:
Download Trailer:
Trailer Instagram:
Pôster:
Fotos:
Materiais Redes Sociais:
Instagram Oficial:

 Confira o trailer abaixo:

Sobre a Escarlate

Com 30 projetos em seu portfólio, o estúdio de criação de negócios audiovisuais Escarlate possui uma metodologia própria para realização e customização de sociedades e parcerias específicas para cada conteúdo, com foco em qualidade, resultado e alcance global.  “Criamos um diálogo permanente com o mercado, conectamos realizadores e investidores com nossa curadoria de conteúdos, atuando como gestora artística e estratégica”, afirma a fundadora e CEO Joana Henning. Dentre os projetos já em fase de produção e lançamento, estão o longa “De perto ela não é normal”, comédia baseada no monólogo de sucesso de Suzana Pires, com distribuição da H2O Films e a coprodução da Globo Filmes; “Quem matou Celso Daniel”, com distribuição da Downtown Filmes; “New York Discoteque”, distribuição da Fênix; “O sequestro do voo 375”, coprodução da LCT; “Synonymes”, ganhador do Urso de Ouro em Berlim, como melhor filme, co-distribuição com a Fênix; entre outros. Na área de eventos, estão a co-realização do “Hollywood Brazilian Film Festival”; o “Planeta Ginga Film Festival”, festival Franco-Brasileiro de cinema e música, unindo música, cinema, arte urbana, artes visuais e ecologia, direção e co-realização Livin’Astro Production. Na lista dos direitos mais recentes adquiridos pela produtora estão títulos de filmes como “Alcantara”, “Dauzito” “A Farra dos Guardanapos”.

 

Sobre a Globo Filmes

Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 300 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, documentários, dramas e aventuras, apostando na diversidade e em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como, ‘Tropa de Elite 2’, ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ – com mais de 11 milhões de espectadores -, ‘Se Eu Fosse Você 2’, ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta? ’, ‘O Palhaço’, ‘Getúlio’, ‘Carandiru’, ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar e Bacurau que recebeu o prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.

 

Sobre a H2O Films

Fundada em 2012, a H2O Films é uma distribuidora de Cinema com capital 100% nacional. Sua missão é potencializar ao máximo o desempenho dos filmes que lança. Em um mercado altamente competitivo, a H2O Films busca tratar e pensar cada projeto de forma exclusiva. Para isso, tem como grande diferencial a expertise em marketing e o know-how em programação de sua equipe.

A empresa é responsável pela distribuição de mais de 30 filmes, em 2014 lançou “Made in China”, com direção de Estevão Ciavatta e protagonizado por Regina Casé, com mais de 400 mil espectadores; “Cássia Eller”, de Paulo Henrique Fontenelle, que, com 72 mil espectadores, se tornou um dos documentários mais bem-sucedidos de mercado e de crítica; “Vai Que Cola – O Filme”, com a maior bilheteria de abertura nacional do ano de 2015, que contou com um público de mais de 3,2 milhões de espectadores; a continuação da comédia de Andrucha Waddington “Os Penetras 2 – Quem dá mais?” e o longa “Um Tio Quase Perfeito”, com Marcus Majella, ambos em 2017. Em 2018, lançou “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues, indicado pelo Brasil a concorrer a uma vaga ao Oscar, e em 2019, a sequência da comédia “Vai Que Cola 2- O Começo” e o show  “Roberto Carlos em Jerusalém 3D” que fez mais de 70 mil de público. 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Luan Ribeiro
Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do São Paulo. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *