SAKE: Empresa japonesa revela curiosidade sobre essa bebida típica do Japão

2021 é um ano especial para o Japão, que sediará os jogos olímpicos. Por isso, a Azuma Kirin, marca japonesa especializada em sake, lista 5 curiosidades sobre a bebida fermentada indispensável na cultura oriental e que há tempos caiu no gosto dos brasileiros

 

Em julho, os holofotes mundiais se voltam para Tóquio. A movimentada capital do Japão é símbolo da mescla de modernidade e tradicionalismo tão presente na cultura japonesa. Aproveitando que a cultura oriental está em alta e desperta muita curiosidade, a Azuma Kirin, marca japonesa especializada em sake, com mais de 85 anos de Brasil, revela algumas diferenças entre o consumo tradicional e moderno da bebida típica do Japão. Confira abaixo:

Como o sake é produzido?

O processo de produção do sake não é simples, começando com o polimento do arroz, processo que busca conservar apenas a parte central do grão, onde encontra-se o amido. Quanto maior o grau de polimento do grão, mais nobre é o sake. Após o polimento, o arroz é lavado e cozido ao vapor, depois parte para o processo de fermentação, juntamente com água e o koji, que confere mais complexidade de sabor e aroma à bebida. “Como a fermentação é feita de forma 100% natural, sem adição de aditivos químicos, a qualidade do grão do arroz, características da água utilizada e do koji são fundamentais para o resultado final da bebida,” explica Rodrigo Peca, especialista em sake e Gerente geral da Kikkoman do Brasil.

Qual é a base da produção do sake?

As fábricas que produzem sakes são, tradicionalmente, chamadas de Sakaguras. Os três principais elementos para a produção da bebida são: água, arroz e o Koji, específico para a produção de sake, koji, que são microrganismos utilizados para sacarificação de arroz, seguido por processo de fermentação. Aromas e sabores característicos da bebida são resultado de trabalho do koji e das leveduras.

Como o sake é tradicionalmente consumido no Japão?

No Japão, desde a década de 80, a forma tradicional de beber o sake é como aperitivo, ou seja, antes das refeições. Entretanto, o consumo da bebida como acompanhamento de refeições vem se tornando a forma mais comum, o que mostra uma modernização e globalização do sake.

Como o japonês escolhe o sake que irá consumir?

Não existe uma forma certa para o consumo da bebida, já que a escolha vai depender do paladar de quem o consome. O que diferencia os tipos de sakes são os aromas e sabores        . Por exemplo, alguns são mais frutados e refrescantes, como o Guinjo e Namazake, enquanto outros são mais encorpados e expressivos, como o Junmai.

Qual o sake ideal para cada ocasião?

O sake mais indicado para cada ocasião depende do prato a ser escolhido e até da temperatura em que a bebida fermentada será consumida.

Confira abaixo os tipos de sake fabricados no Brasil pela Kikkoman do Brasil – Detentora da marca Azuma Kirin, com os sakes mais premiados do Brasil – e dicas de pratos que combinam perfeitamente com a bebida:

  • Comum: É um sake menos complexo e que passa a sensação mais alcoólica. É incolor, tem sabor neutro e final seco. É ideal para misturas com frutas cítricas e uma boa pedida para o preparo das tradicionais sakerinhas, além de ser versátil para uso na culinária, como substituto ao vinho em algumas preparações. Pode ser facilmente combinado com frutos do mar e sushis mais tradicionais.
  • Soft: Indicado para quem busca um sabor discreto e agradável. Tem aroma suave, frutado, é leve e delicado no paladar. Boa opção para degustar puro ou em drinks que se procura leveza pois, possui menor teor alcoólico, permite que a fruta se destaque na preparação. Ideal para combinar com petiscos, pizza e até mesmo hamburger.
  • Dourado: O Dourado é um sake para uma legítima experiência oriental, aroma fresco e frutado, com sabor suave e acidez na medida certa.  É perfeito para consumo puro ou em drinks mais elaborados e considerado um produto de alta qualidade e preço acessível. Harmoniza muito bem com peixes assados, frutos do mar e sushis e sashimis, ou ainda os Lámens. petiscos, pizza e até mesmo hamburger.
  • Nama: É uma bebida delicada, frutada e de final cítrico. É um sake que passa por uma menor pasteurização, em comparação aos demais sakes, daí o significado de seu some “sake cru”. Ainda por este motivo, o Nama é considerado uma bebida volátil e pede especial atenção na forma de consumo e armazenamento, que deve ser sempre refrigerado, boa pedida para os dias quentes ou quem não abre mão de uma bebida gelada. Ideal para combinações com saladas, petiscos e pratos leves ou sashimis.
  • Junmai: o Junmai é o sake sem adição de álcool, toda percepção alcoólica é proveniente de sua fermentação, é mais encorpado e com final de sabor intenso. Com alta qualidade, já garantiu medalha de prata no Prêmio Monde Selection, realizado na Bélgica. Ideal para consumo puro, harmonizando muito bem com ensopados, frituras ou ainda pratos com temperos mais intensos, ou para os mais exigentes, quem sabe compor drinks com maior nível de complexidade.
  • Guinjo: O sake Nacional mais premiado do mundo. O sake Guinjo é feitos com grãos com nível de polimento superior a 40%, quando se utiliza a parte mais nobre do arroz. Produzido a partir de método tradicional japonês é mais aromático, frutado e adocicado com leves notas de maçã, combinando muito bem com Sushis e Sashimis, Lámen e caldos de sabor mais suave. Em 2021, o sake Guinjo da Azuma Kirin conquistou medalha de ouro na Premiação Monde Selection, pelo segundo ano consecutivo, no concurso europeu de bebidas.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *