Às quartas – Carona

Foto: William Bout em Unsplash

Você está indo pra Tijuca? Importa-se de me dar uma carona? Obrigado. Você pega a Praça da Bandeira? O Maracanã? É o meu caminho! Fico um pouquinho depois mas é pertinho. Será que você pode me deixar ali no Grajaú? Passa o Maracanã, passa a entrada para a Tijuca, desce Vila Isabel toda, é bem no fim do Grajaú. A última rua antes de subir a serra. Dali pra voltar pra Tijuca é, praticamente, uma reta. E no contrafluxo! Nem trânsito haverá!

***

– Esse banco se ajeita? Desculpe, minha perna é muito comprida. Vou chegá-lo pra trás. Está apertado aí atrás? É rapidinho. Você se importa de chegar pro meio? Aí não aperto ninguém. Dá pra regular a altura? Minha cabeça está quase batendo no teto. Seria bom se regulasse. Eu fico enjoado. Prefiro carros maiores por isso. É, ser alto tem suas desvantagens. Ah, achei a alavanca. Ufa! Obrigado, hein! Vou ajeitar o retrovisor direito, assim ajudo você. Tem certeza? O retrovisor não? Só o banco então. Está bem.

***

– Você deixa a entrada do ar condicionado sempre fechada? Eu deixo assim, ó, aberta. E daí que entra monóxido de carbono? Assim renova o ar. A fumaça que entra, sai. Está circulando, é o que importa. Não quer deixar aberta? Percebe a diferença, ó: nenhum cheirinho de fora. Muito melhor. Vou mudar, tá? Mas e o Covid? O Covid não acabou!

***

Foto: Sena Aykut em Unsplash

– Você prefere vir por aqui porque é uma reta, né? Eu gosto de entrar à direita e cortar pelo mergulhão. A vista aqui é bonita, o percurso é mais agradável, de fato, mas eu sempre priorizo o tempo. Mergulhão, contorno a comunidade até o viaduto e saio três ruas à frente. Perigo? Se você anda rápido, corre menos perigo, ué! Não, a comunidade é de paz. O maior bandido dali vende Jequiti, pra você ter uma ideia. Tranquilinha. Vai por mim: vira no sinal. Não quer tentar? Última chance de entrar à direita! Bem, você que sabe. Manda quem está no volante. Mas economizaríamos uns dois ou três minutos. Vai por mim. Não quer mesmo virar aqui, ainda dá tempo. Ah, que pena.

***

– Liga a seta para entrar à direita. Vai caindo para a direita. Vou colocar o braço pra fora, espera. Liga a seta, vai. Deixa o carro passar. Estou olhando no espelho, há um carro vindo. Espera. Quando eu falar, você vai.

***

– Bambuzal, 1 quilômetro. Quase não se vê a placa. Deviam cuidar melhor dessa estrada. Nossos impostos vão pra onde? O dinheiro do pedágio vai pra onde? Absurdo. Olha, 600 metros. Bem no alto essa placa. Aí, sim! Todo mundo vê. Não sabia que era perto de Mina Velha! Você leu? “Bambuzal, 600 metros. Mina Velha, 2 quilômetros”. Pertinho. Ah, que bom, quase chegando. Bambuzal, 300 metros. Fica atento. Entraremos à esquerda. Havia uma entradinha…era bem discreta. 100 metros! A qualquer momento, a qualquer momento! Não quer colocar o pisca-alerta? Vem carro de lá, cuidado. Por que você parou? O quê? Você quer que eu salte aqui? Aqui? Mas nem placa tem!

ANA LÚCIA GOSLING

Ana Lucia Gosling (@analugosling)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Ana Lúcia Gosling se formou em Letras (Português-Literatura) em 1993, pela PUC/RJ. Fixou-se em outra carreira. A identidade literária, contudo, está cravada no coração e o olhar interpretativo, esgarçado pra sempre. Ama oficinas e experimenta aquelas em que o debate lhe acresça não só à escrita mas à alma. Some-se a isso sua necessidade de falar, sangrar e escorrer pelos textos que lê e escreve e isso nos traz aqui. Escreve ficção em seu blog pessoal (anagosling.com) desde março de 2010 e partilha impressões pessoais num blog na Obvious Magazine (http://obviousmag.org/puro_achismo) desde junho de 2015. Seu texto “Não estamos preparados para sermos pais dos nossos pais” já foi lido por mais de 415 mil pessoas e continua a ser compartilhado nas redes sociais. Aqui o foco é falar de Literatura mas sabe-se que os processos de escrita, as poesias e os contos não são coisa de livro mas na vida em si. Vamos falando de “tudo” que aguçar o olhar, então? Toda quarta-feira, aqui no ArteCult, há texto novo da autora. Redes Sociais: Instagram: @analugosling Facebook: https://www.facebook.com/analugosling/ Twitter: https://twitter.com/gosling_ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *