31° Cine Ceará anuncia curtas e longas selecionados para a Mostra Olhar do Ceará

Festival acontece de 27 de novembro a 3 de dezembro, presencial em Fortaleza, no Canal Brasil, Canais Globo e Globoplay + Canais ao Vivo 

 

Documentário “Zé Tarcísio, Testemunha”, de Delano Gurgel, apresenta a vida e a obra de uma das maiores personalidades das artes plásticas do Ceará

Com 20 filmes, entre longas e curtas, o Cine Ceará apresenta a lista dos selecionados para a Mostra Olhar do Ceará da 31ª edição do festival, que acontece de 27 de novembro a 3 de dezembro. O gênero documentário é maioria, somando 13 produções. Os longas serão exibidos no Cineteatro São Luiz e os curtas no Cinema do Dragão e no canal do Cine Ceará no YouTube.

Na última semana de setembro o festival divulgou a lista dos selecionados para as Mostras Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem, que terá exibição presencial no Cineteatro São Luiz, no Canal Brasil, Canais Globo e Globoplay + Canais ao Vivo, e Competitiva Brasileira de Curta-metragem, que acontecerá no Cineteatro São Luiz. Para a programação presencial nos equipamentos da Secult-CE, geridos pelo Instituto Dragão do Mar, o festival seguirá os protocolos sanitários vigentes do setor de audiovisual/cinema, estabelecidos pelo Governo do Ceará por meio de decreto.

Foram 88 filmes inscritos para a Mostra Olhar do Ceará, que teve a curadoria de Desirée Langel Rondón. Os três longas selecionados são documentários. “Transversais” marca a estreia do cineasta Émerson Maranhão em longas-metragens. “Aqueles Dois” (2018), seu primeiro curta, foi selecionado para mais de 60 festivais e mostras nacionais e internacionais e conquistou 20 prêmios. “Transversais” acompanha cinco pessoas que vivem a experiência da transexualidade de diversas maneiras. A diretora Natália Gondim levanta a questão da desigualdade social das mulheres em “Minas urbanas”. Seu documentário anterior como co-diretora, “Les Statues de Fortaleza” (2019), que retratou a situação de refugiados venezuelanos no Brasil, foi exibido em diversos países pela ONU no Global Migration Film Festival da OIM e o Festival da Anistia Internacional para Direitos Humanos, na França. Completa a lista de longas “De uma distância esquizóide” de Gabriel Silveira, sobre o controverso cotidiano urbano do mundo desenvolvido e as desigualdades do mundo em desenvolvimento confrontados numa experiência audiovisual extrema.

seleção dos curtas-metragens da Mostra Olhar do Ceará contempla realizadores de Fortaleza, Crato, Juazeiro do Norte, Meruoca, Quixadá e Tianguá. São três animações presentes: “As aventuras de Ana e João”, de Augusto Cesar dos Santos, “Ibiapaba, como nascem as montanhas”, de George Alex Barbosa, e “Sebastiana”, de Cláudio Martins. A mostra apresenta quatro curtas de ficção: “2020″, uma ficção Científica/Sertãopunk de Oziel Herbert, “Curva sinuosa” um trabalho experimental de Andréia Pires, “Entre o passado”, de Larissa Estevam, e “Estilhaços”, um curta de horror/fantasia de Gabriela Nogueira.

Dentre os 17 curtas selecionados, dez são documentários. Entre eles, “Fôlego vivo”, um trabalho da Associação dos Índios Cariris do Poço Dantas – Umari, um coletivo de pessoas indígenas, formado em sua maioria por mulheres, multigeracional e integrantes LGBTQI+ e PCD. “Zé Tarcísio, Testemunha”, de Delano Gurgel, sobre a vida e a obra de um dos maiores nomes das artes plásticas do Ceará, “Saudade dos Leões”, de João Paulo Magalhães, sobre a Praça dos Leões, um dos espaços mais icônicos da vida cultural de Fortaleza.

A tradição cultural está nos curtas “Arte na palha”, de Augusto Cesar dos Santos, sobre chapeleiras do interior cearense que produzem artesanatos com a palha da carnaúba e perpassam suas habilidades as novas gerações, e “Boi coração”, de Marcelo Alves e Ângela Gurgel, sobre a festa em homenagem ao Dia de Reis realizada há mais de 20 anos pelo fazendeiro e poeta Chico Emília em sua própria casa, em uma comunidade no interior cearense.

Dois filmes têm a casa como ponto de partida para buscas de sensações e memórias.  Em “A casa que eu vivo hoje não é casa”, Lara Muniz e Marcus Antonius, levantam a questão sobre os significados de casa e lar, sobre paredes físicas, corpos e imaginário. Em “Joelhos”, uma casa no interior cearense é colocada em aluguel, mas o que era para ser a despedida de um lar, torna-se um retrato de Dona Ivanilde. A diretora Yasmin Gomes foi premiada no 30º Cine Ceará com “Não te amo mais”, eleito melhor filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem.

Completam a seleção os documentários “Corpas”, de Arthur Almeida, sobre o fazer artístico e a transexualidade em Fortaleza, capital do segundo estado que mais mata trans no Brasil; “Memória da memória”, de Idson Ricart, que revisita histórias de personagens presentes em fotos e fitas-cassetes que haviam sido descartadas, após um mapeamento cultural realizado em Quixadá, em 1993, pelo cantor e compositor Pingo de Fortaleza; e “Muxarabi”, sobre um metalúrgico do Conjunto Palmeiras, em Fortaleza, que em meio à rotina de fazer portas, janelas e grades, cria invenções e reflete sobre a vida. O filme é de Natália Maia e Samuel Brasileiro, diretores e roteiristas que criaram, escreveram e dirigiram a série “Lana & Carol”, atualmente em exibição no Canal Futura. Também são roteiristas do premiado longa-metragem “Pacarrete”.

OS LONGAS DA MOSTRA OLHAR DO CEARÁ

 

De uma distância esquizoide. Direção: Gabriel Silveira. Documentário. 60 min. Fortaleza/Ceará. 2021. 16 anos.

Minas urbanas. Direção: Natália Gondim. Documentário, 97 min. Fortaleza/Ceará. 2020. Livre.

Transversais. Direção: Émerson Maranhão. Documentário. 84 min. Fortaleza/Ceará. 2021. Livre.

OS CURTAS DA MOSTRA OLHAR DO CEARÁ

2020. Direção: Oziel Herbert. Ficção Científica/Sertãopunk, 22 min. Fortaleza/Ceará. 2020. 12 anos.

A casa que eu vivo hoje não é casa. Direção: Lara Muniz e Marcus Antonius. Documentário, 04 min. Fortaleza/Ceará. 2021. Livre.

Arte na palha. Direção: Augusto Cesar dos Santos. Documentário. 19 min. Meruoca e Forquilha/Ceará. 2021. Livre.

As aventuras de Ana e João. Direção:  Augusto Cesar dos Santos. Animação. 07 min. Meruoca/Ceará. 2021. Livre.

Boi coração. Direção:  Marcelo Alves e Angela Gurgel. Documentário. 25 min. Fortaleza/Ceará. 2020. Livre.

Corpas. De Arthur Almeida. Documentário. 23 min. Fortaleza/Ceará. 2020. 14 anos.

Curva sinuosa. Direção: Andréia Pires. Experimental/Ficção. 21 min. Fortaleza/Ceará. 2021. 14 anos.

Entre o passado. Direção: Larissa Estevam. Ficção. 18 min. Fortaleza/Ceará. 2021. 12 anos.

Estilhaços. Direção: Gabriela Nogueira. Horror/Fantasia. 15 min. Fortaleza/Ceará. 2021. 14 anos.

Fôlego vivo. Direção: Associação dos Índios Cariris do Poço Dantas – Umari. Documentário experimental. 25 min. Crato/Ceará. 2021. Livre.

Ibiapaba, como nascem as montanhas. Direção: George Alex Barbosa. Animação. 14 min. Tianguá/Ceará. 2021. Livre.

Joelhos. Direção: Yasmin Gomes. Documentário. 15 min. Juazeiro do Norte/Ceará. 2021. Livre.

Memória da memória. Direção: Idson Ricart. Documentário. 14 min. Quixadá/Ceará. 2021. Livre.

Muxarabi. Direção: Natália Maia e Samuel Brasileiro. Documentário. 19 min. Fortaleza/Ceará. 2021.  10 anos.

Saudade dos Leões. Direção: João Paulo Magalhães. Documentário. 19 min. Fortaleza/Ceará. 2021. Livre.

Sebastiana. Direção: Cláudio Martins. Animação. 14 min. Fortaleza/Ceará. 2020. Livre.

Zé Tarcísio, Testemunha. Direção: Delano Gurgel Queiroz. Documentário. 26 min. Fortaleza/Ceará. 2021. Livre.

Cine Ceará

O 31º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema é uma realização do Ministério do Turismo, através da Secretaria Especial da Cultura, da Associação Cultural Cine Ceará e da Bucanero Filmes. Tem o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Secult Ceará), da Universidade Federal do Ceará, via Casa Amarela Eusélio Oliveira, e da Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. Conta com o Canal Brasil como Exibidor Oficial. Apresentação: SP Combustíveis. Patrocínio VIP: Nacional Gás, Esmaltec e Indaiá. Patrocínio: Piraquê e Cagece.

SERVIÇO

31° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 27 de novembro a 03 de dezembro de 2021 em formato presencial no Cineteatro São Luiz e no Cinema do Dragão, em Fortaleza, no Canal Brasil, Canais Globo e Globoplay + Canais ao Vivo e canal Cine Ceará no YouTube. Informações: www.cineceara.com. Instagram: @cineceara, Facebook: Festival Cine Ceará. E-mail: contatos@cineceara.com.

 

 


ArteCult – Cinema & Companhia

Siga nosso canal e nossos parceiros no Instagram para  ficar sempre ligado nas nossas críticas, últimas novidades sobre Cinema e Séries, participar de sorteios de convites e produtos, saber nossas promoções e muito mais!

@artecult , @cinemaecompanhia , @cabinesete ,
@cinestimado,  @cineelaw e @marimastrange

#VamosParaOCinemaJuntos

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Luan Ribeiro
Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do São Paulo. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *