JOHN WICK 3 – PARABELLUM: Tiro, porrada, bomba e facas. Muitas facas.

 

Keanu Reeves recoloca seu manto para o terceiro capítulo da saga “John Wick”, com muita ação do começo ao fim. Trazendo todos os elementos de um filme de ação grandioso, a adrenalina toma conta das salas e o público vibra com cada plano-sequência do filme. Sejam bem-vindos ao “PARABELLUM”. Confira nossa crítica sem spoilers a seguir.

John Wick 3 – Parabellum traz ainda mais informações sobre o universo que começou há algum tempo no filme de estreia da franquia que retratava um homem de perfil frio e calculista em busca de vingança, um filme repleto de armas e ótimas lutas coreografadas, principalmente as que se utilizam de facas. Já neste novo episódio percebemos que essa história ganha novos horizontes e muito mais elementos que enriquecem e potencializa ainda mais a trama.

Keanu Reeves é “John Wick” em “JOHN WICK 3 – PARABELLUM”. Foto: Divulgação – Paris Filmes.

A trama traz a sucessão dos fatos após o segundo episódio da saga, trazendo exatamente a continuação do ponto finalizado, onde vemos John Wick (Keanu Reeves) sendo procurado por todos os maiores assassinos após divulgado um contrato de aproximadamente U$14 milhões de dólares pela sua cabeça devido ter quebrado uma grande regra: ter tirado uma vida dentro do estabelecimento denominado “Hotel Continental”. John já deveria ter sido morto, contudo, o gerente do Hotel Continental, Sr. Winston (Ian McShane), o proporciona um período até que ele tivesse sua associação removida, assim, através de uma sucessão de acontecimentos e muitas fugas, John precisa contar com grandes ajudas de seu passado para conter as forças que tanto assombram a sua vida nos dias atuais.

Keanu Reeves é “John Wick” em “JOHN WICK 3 – PARABELLUM”. Foto: Divulgação – Paris Filmes.

Os elementos contidos no filme são muito bem administrados pelo diretor Chad Stahelski que sabe entregar de maneira dosada e bem orgânica o que o público espera, dinamizando as cenas e proporcionando sequências de tirar o fôlego. Tais elementos são muito bem distribuídos durante as 2 horas de exibição, pois funcionam de maneira conjunta e provoca uma imersão naquela história, seja com sua ótima trilha sonora, cenografia, fotografia ou até perfeita paleta de cores utilizada. Tudo aqui está no seu devido lugar.

 

 

O grande elenco de John Wick 3 traz um espetáculo à parte. Keanu Reeves está ainda mais vontade, assumindo mais uma vez o manto do protagonista e demonstra fôlego para futuras produções que possam acontecer. Halle Berry faz ótima participação e brilha durante esta sua passagem. Interpreta Sofia, uma antiga amiga de John que irá ajudá-lo a enfrentar mais este episódio.

Halle Berry é “Sofia” em “JOHN WICK 3 – PARABELLUM”. Foto: Divulgação – Paris Filmes.

Sua passagem na trama empolga – e muito – e nos prende a atenção. Já em relação aos antagonistas da história, Asia Kate Dillon não consegue imprimir uma boa vilã como Juíza, o que é uma pena, pois havia potencial para a atuação da mesma, quem sabe num futuro breve consigamos ver um pouco mais o desenvolvimento de sua personagem.

CONFIRA O TRAILER

 

 

 

 

O capítulo “Parabellum” traz o momento apoteótico da franquia e prepara terreno para mais uma boa dose de adrenalina e ação, com ótimas coreografias, muito tiro, boa atuação de Keanu Reeves, se reinventa como filme do gênero ação e nos proporciona uma experiência cinematografia daquela. Valendo muito a pena nosso ingresso!

 

NOTA : 8

 

 

 

Ficha Técnica:

John Wick 3 – Parabellum (2019)

  • Título Original: John Wick: Chapter 3
  • Duração: 130 minutos
  • Ano produção: 2019
  • Estreia: 16 de Maio de 2019
  • Distribuidora: Paris Filmes
  • Dirigido por: Chad Stahelski
  • Orçamento: US$ 55 milhões
  • Classificação: 18 anos
  • Gênero: Ação
  • Países de Origem: EUA

Sinopse:

John Wick (Keanu Reeves) está fugindo por dois motivos… ele está sendo caçado por um contrato de $14 milhões de dólares por sua vida, e por quebrar uma regra central: tirar uma vida dentro do Hotel Continental. A vítima era integrante da Mesa Alta que encomendou o contrato aberto. John já deveria ter sido executado, exceto que o gerente do Continental, Winston, deu a ele um período de uma hora até ele ser ‘Excommunicado’ – ou seja, ter sua associação removida, banido de todos os serviços e ter todos seus laços com os outros membros cortados. John usa a indústria do serviço para se manter vivo enquanto luta e mata em seu caminho para fora da cidade de Nova York.

Acompanhem-nos em nossas redes sociais:

@artecult , @cinemaecompanhia , @tiltcine@cabinesete ,  @cinestimado e @resetdepoisdever

Acompanhe o resumo do dia do universo de Cinema & Séries:

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Luan Ribeiro
Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do Rio de Janeiro. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *