“FILHAS DO SOL”: Resistência e sensibilidade feminina nas telonas

Longa de Eva Husson retrata o grupo de resistência formado por mulheres curdas,
que lutam por sua liberdade numa sociedade machista e violenta

 

Com muita sensibilidade, o segundo filme da diretora Eva Husson cria um conexão do público com aquelas incríveis personagens, a emoção permeia toda a história e a sensibilidade feminina toma conta da trama, constratando com o visual das locações, o que é muito bem exporado pela fotografia do filme.

A trama conta a história de Bahar(Golshifteh Farahani), que, como muitas mulheres yazidi, fora vendida e revendida como escrava sexual depois de ter visto seu marido ser fuzilado pelo EI (Estado Islâmico). No cativeiro, encontra Lamia (Zübeyde Bulut) e juntas decidem pedir ajuda a uma ex-professora de faculdade de Bahar e ativista pelas mulheres que a libertem. Bahar estudara na França, era advogada e assim, acaba liderando este batalhão das Filhas do Sol, formado por ex-prisioneiras e escravas sexuais. Ela e suas colegas lutam contra o EI e o filme acompanha todo o processo de retomada da cidade.

Durante uma entrevista , a diretora chegou a falar sobre a personagem principal:

“Ela (Bahar) é nossa janela para o mundo, a porta-voz da capitã do batalhão feminino, e pode expressar certas coisas que seria impossível ilustrar através da narrativa nesse contexto. Ela também me permite refletir sobre a noção das mulheres na guerra. Como uma repórter de guerra feminina, ela representa uma antes oculta perspectiva da identidade das mulheres dentro da zona de guerra. Ela é como um prisma que nos permite navegar entre os contextos coletivo e individual. É a ferramenta da narrativa testemunhal.”

Um fato bem interessante: o filme mostra bem como os soldados do ISIS ficavam incomodados e com muito medo delas, pois eles possuem a crença que homens que morrem pelas mãos de uma mulher, “não vão para o céu”.

CONFIRA O TRAILER

 

 

 

Um filme muito bem desenvolvido através da sensibilidade feminina, sobre mulheres guerreiras e com ótimas fotografia e trilha sonora. Não perca!

 

 

SINOPSE  

Bahar (Golshifteh Farahani) é a comandante das Filhas do Sol, um batalhão composto apenas por mulheres curdas que atua ofensivamente na guerra do país. Ela e as suas soldadas estão prestes a entrar na cidade de Gordyene, local onde Bahar foi capturada uma vez no passado. Mathilde (Emmanuelle Bercot) é uma jornalista francesa que está acompanhando o batalhão durante o ataque. O encontro entre as duas mulheres, dentro do cenário caótico que as cercam, irá mudar a vida de ambas permanentemente.

FICHA TÉCNICA 

  • Direção:  Eva Husson
  • Elenco: Golshifteh Farahani, Emmanuelle Bercot, Zübeyde Bulut
  • Gênero: Drama
  • País: França
  • Ano: 2018
  • Duração: 111 min

 

RAPHAEL GOMIDE

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com, Sócio-fundador e editor do QuadriMundi, ambos projetos da Webstaff, sua empresa que está sendo estruturada e que também gerencia outros portais como o BandasNovas, OlheiroMusical, Bullyng nas Escolas, Reação Adversa e CasarOnLine. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. No Facebook, administra vários grupos tais como Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas , além das páginas Futuristiko (sócio-fundador), Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (app em desenvolvimento para a comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *