Poropopó : O longa-metragem faz sua pré-estreia presencial no Rio na abertura do 19º Festival Internacional de Cinema Infantil FICI

Sessão no FICI DAY começa dia 04/12 às 11:30 Estação NET Gávea 

O longa-metragem infanto-juvenil “Poropopó” teve sua estreia mundial na 45ª Mostra Internacional de Cinema de SP, , dentro da Mostra Brasil e Competição Novos Diretores, com exibições no Petra Belas Artes, no CCJ Ruth Cardoso e no vão-livre do MASP e online.

Agora, “Poropopó” terá pré-estreia no 19º Festival Internacional de Cinema Infantil – FICI, durante o FICI Day, que ocorrerá no dia 04 de dezembro no cinema Estação Net Gávea, no Rio de Janeiro Ele estará disponível também, na plataforma online www.fici.com.br, entre 11 e 19 de dezembro.

Poropopó narra as aventuras de uma família de palhaços que deixa o circo para tentar a vida na cidade, sem nunca deixar suas caracterizações de palhaços e suas crenças. A família enfrenta, com humor e alegria, uma série de dificuldades durante a adaptação a essa nova vida. Poropopó é dirigido por Luis Igreja, criado por Denise Bernardes, que divide o roteiro com Rodrigo Parra. No elenco com André Abujamra, Amir Haddad e Letícia Pedro, que conta a história de Julieta, uma palhacinha adolescente que vive com sua família peculiar: um grupo circense nômade. Sua vida muda drasticamente quando seus pais decidiram deixar o circo e tentar a vida em uma cidade próxima. O filme foi rodado na cidade de Nova Friburgo, sendo grande parte do elenco de apoio oriundo de grupos teatrais locais. A produção do longa é de Denise Bernardes, Rodrigo Parra e Gabriela Figueiredo, que também é atuou com produtora executiva. “Poropopó” é uma coprodução Samba Filmes e Leblon Filmes, em associação com Valkyria Filmes e tem distribuição da Cavideo.

 

Sinopse

Julieta é uma palhacinha adolescente que vive com sua família peculiar: um grupo circense nômade. Sua vida muda drasticamente quando seus pais decidiram deixar o circo e tentar a vida em uma cidade próxima. Vestindo sempre seus trajes típicos, a família enfrenta, com humor e alegria, uma série de dificuldades durante a adaptação a essa nova vida.Enquanto seus pais lutam para ajustarem-se ao estilo de louco estilo de vida urbano, Julieta faz novos amigos e prepara um show circense no bairro. Performances, truques de mágica, música, mistério e muita diversão acabam por trazer a tradição do circo para a cidade, derretendo alguns corações frios e apresentando ao mundo os poderes do símbolo mais precioso desta família de palhaços: a flor Dente-de-leão.

 

CONFIRA O TRAILER ( Leblon Filmes on Vimeo ):

“O filme trata do “encontro de diferentes”, adotando para isso uma estratégia narrativa peculiar: sua estória é contada fazendo o uso de uma linguagem poética, universal e imagética, baseadas nas técnicas de atuação da linguagem gestual, gromelô, efeitos sonoros e técnicas de stop motion.” Explica Denise Bernardes. O conceito empregado no longa teve origem na criação do argumento pela autora Denise Bernardes, a partir do qual, ela e seu sócio produtor, Rodrigo Parra, desenvolveram o roteiro do filme. O roteiro foi contemplado em primeiro lugar no edital de realização do SAV/MINC/FSA para projetos de filmes infantis BO de linguagem inovadora de 2016, e cujos recursos viabilizaram o longa.

Assim como na estória, muitos foram os encontros ao longo dessa jornada. Em um deles, Denise Bernardes apresentou a ideia do filme ao cineasta Roberto Farias. Animado com o conceito, ele disse:

“Chame seus amigos mais talentosos e faça esse filme”.

Denise e Rodrigo então convidaram para a direção do filme o amigo e parceiro Luis Antônio Igreja, especialista nas técnicas de representação da linguagem gestual, e diretor de programas infantis e da Companhia do gesto, de onde também vieram boa parte do elenco.

No elenco a atriz Letícia Pedro, no papel de Julieta, filha da família de palhaços; Luigi Montez, interpretando Romeu, o vizinho nerd de Julieta na cidade; e Amir Haddad e André Abujamra, como o avô da menina e a avó Mulher Barbada, respectivamente. Destaque também para o ator André Garcia Alvez, no papel de pai de Julieta, ator e palhaço, trabalhando há 30 anos com teatro de rua. A montagem do filme ficou a cargo de Gabriela Paschoal e a trilha sonora é assinada pelo músico e compositor Daniel Gonzaga, que já fez várias trilhas para espetáculos de circo contemporâneo. O desenho de som, elemento fundamental para esse desafio narrativo sem diálogos, foi concebido pelo design de som Fernando Aranha. A direção de arte, também relevante para a narrativa, foi feita pela própria Denise Bernardes.

“Como um fechamento de ciclo, o filme é dedicado à memória de Roberto Farias, que tanto nos motivou a trilhar esse caminho mágico e delicado. Vendo-o pronto e sendo exibido na tela grande, acreditamos que “Poropopó” é mais do que um longa-metragem infantil; é uma confluência de experiências artísticas, criatividade, amizade e paixão pela arte cinematográfica.”, declara o roteirista Rodrigo Parra.

 

ENTREVISTA – DENISE BERNARDES

Confira abaixo a entrevista exclusiva que fizemos com a autora, produtora e diretora de arte do filme :

  1. Conte-nos como nasceu a ideia do roteiro.

Na época, eu fazia um pós-graduação de roteiro para cinema, e tinha que criar muitas estórias. Estava em Copacabana andando de bicicleta, e pensei em uma família de palhaços que resolvesse deixar um circo tradicional para tentar a vida em uma cidade e tivesse que morar em um pequeno apartamento em um daqueles prédios, mas sem nunca deixar suas caracterizações de palhaços e seu comportamento expansivo e humor irreverente. E assim começou, e depois surgiram outras ideias. Já na realização do filme, optamos por filmar em Nova Friburgo, o que deixou tudo mais poético.

Talvez em função da experiência de ter trabalhado muito tempo com direção de arte e figurino, queria contar essa estória com uma linguagem imagética, em que a narrativa se move pelos acontecimentos e ações, e não pelo significado das palavras. Para isso, tentamos buscar referências em trabalhos de diretores que adoramos, como Charles Chaplin, Jacques Tati, Buster Keaton e Federico Fellini.

Eu e o roteirista e produtor Rodrigo Parra chegamos a escrever os roteiros para uma série inspirada nessa estória, que só agora, e ao seu modo, fruto de muito trabalho e esforço de uma equipe de profissionais e elenco muito talentosos, conseguiu virar filme.

 

  1. Qual foi o maior desafio da produção para fazer o filme?

O filme foi realizado com recursos de um prêmio de roteiro e projeto de um edital de realização de baixo orçamento. Tivemos algumas dificuldades de produção, e filmamos tudo em duas semana e meia, debaixo de muita chuva. Tivemos que cortar, simplificar e adaptar muito do roteiro original, muitas vezes na véspera, e até no dia da filmagem e na montagem. Mas o que ajudou muito foi o fato de contamos com uma equipe de produção e pós-produção muito dedicada.

 

  1. Quais os grupos teatrais que foram envolvidos durante as filmagens em Nova Friburgo e como foi essa experiência com os mesmos?

Nosso elenco principal tem um núcleo oriundo da Cia. do Gesto, além de outros artistas consagrados em participações especiais. Atores, artistas de circo locais e grupos de crianças e adolescentes completam o elenco.

A cidade de Nova Friburgo tem esses grupos de crianças e adolescentes muito preparados. O nosso diretor de produção Paulo Marques, que morava lá, nos apresentou esses professores e seus alunos.

São eles:

  • Professora de teatro Jane Ayrão, do grupo de teatro “Taca” do colégio Anchieta de Nova Friburgo;
  • Professora de teatro Gabriela Ribas, do grupo “Teia” do colégio Nossa Senhora das Dores;
  • Mestre Fred, da Banda do Ponto de Cultura de Olaria;
  • Diretora da Oficina Escola de Artes de Nova Friburgo, Christiane Salomão.

Durante a nossa pré-produção, esses professores foram fundamentais, ensaiando, organizando e incentivando as crianças.

 

  1. Fale-nos um pouco sobre a decisão de utilizar a técnica de stop-motion na produção dessa obra

O uso de stop-motion ajuda muito nesse tipo de narrativa, podemos criar ações improváveis e divertidas, que avançam o caminho da estória. Por ser uma técnica que exige tempo de filmagem, nossas restrições orçamentárias nos fizeram ter muito menos cenas com stop-motion do que gostaríamos. No filme temos, aparecendo dentro de uma TV em uma das cenas, um louco programa culinário todo em stop-motion. Essa técnica também entrou na pós-produção, nas animações feitas pela designer Raissa Laban e pelo artista plástico Marcos Lamano.

 

  1. Qual a expectativa de vocês em relação à receptividade do público, tanto no cinema como na plataforma FICI.com.br?

Nos sentimos extremamente honrados com o convite para participar do FICI, esse festival infantil tão importante, ainda mais fazendo nossa pré-estreia no Rio no FICI DAY dia 4 de dezembro no Estação Net Gávea, e ao lado de dois incríveis filmes de estúdio de animação brasileiros: “Tarsilinha” e “Tromba Trem – O Filme”.

Fizemos o “Poropopó” para ser um filme infanto-juvenil para toda a família, mas sabemos que ele tem uma narrativa sensorial e diferente, e isso é sempre um voo muito arriscado.

Foi muito divertido fazer o filme e esperamos que o público também se divirta muito. Queremos que o maior número de pessoas possível veja o nosso “Poropopó”, e a plataforma online www.fici.com.br cumpre perfeitamente esse propósito. Obrigada!

 

CONFIRA AS IMAGENS DE “POROPOPÓ”

 

Sobre Denise Autoria (produção e direção de arte)

Denise Bernardes estudou Artes Cênicas e possui pós-graduação em Roteiro para Cinema e em Produção Executiva para Televisão e Cinema. Por 17 anos, trabalhou para a TV Globo, assinando como figurinista vários programas de sucesso. Como diretora de arte trabalhou em programas infantis na Globosat, web series, videoclipes, DVDs e em espetáculos de circo contemporâneo. A fusão de experiências permitiram a ela o desenvolvimento de um processo criativo imagético, capaz de trazer para sua escrita diferentes vozes, estilos e referências. Denise é autora, produtora, diretora de arte e também roteirista do longa-metragem “Poropopó”, cujo roteiro (feito em parceria com Rodrigo Parra)  foi contemplado em primeiro lugar nacional no Edital de realização do SAV/MINC/FSA para projetos de filmes infantis de linguagem inovadora de 2016. Ela possui uma longa parceria de trabalhos com o diretor Luís Antônio Igreja.

 

Sobre Luís Antônio Igreja (direção)

Luís Antônio Igreja é licenciado em Cinema e com formação em dança e teatro. É especialista nas técnicas de representação da linguagem gestual, tendo viajado pelo mundo, atuando como palhaço, com o intuito de aprimorar os seus conhecimentos neste campo artístico. Integrou e dirigiu, por mais de 10 anos, o Grupo de teatro “Companhia do Gesto”. Na televisão, dirigiu, entre outros, o programa infantil “Tem Criança na Cozinha, vencedor Prêmio do Júri Infantil Ibero América no 7º Festival ComKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2015.  Em função de sua experiência com a linguagem gestual, foi convidado por Denise Bernardes e Rodrigo Parra para dirigir o filme

 

Poropopó – Ficha Técnica

  • Ano de produção: 2021
  • Duração: 78 minutos / Cor: colorido /Som: Dolby Digital 5.1
  • Empresas produtoras: Leblon Filmes e Sambas Filmes
  • Produtora associada: Valkyria Filmes
  • Autoria: Denise Bernardes
  • Direção: Luís Antônio Igreja
  • Direção de Fotografia: Guga Millet
  • Produção: Denise Bernardes, Gabriela Figueiredo e Rodrigo Parra
  • Produção Executiva: Gabriela Figueiredo
  • Montagem: Gabi Paschoal, edit.
  • Trilha Sonora Original: Daniel Gonzaga
  • Roteiro: Denise Bernardes e Rodrigo Parra
  • Direção de Arte: Denise Bernardes
  • Figurino: Carol Lobato
  • Caracterização: Roger Ferrari
  • Desenho de Som: Fernando Aranha
  • Mixagem: Bernardo Adeodato
  • Direção de Produção: Paulo Marques
  • Coordenação de Produção Executiva: Milla Monteiro
  • Coordenadora de Pós-produção: Van Novaes
  • Finalização: Luciana Sabino
  • Elenco Principal:Letícia Pedro, Luigi Montez, André Abujamra, Amir Haddad, Daniel Gonzaga, André Garcia Alvez, Ludmila  Silva, Tânia Gollnick, Ademir de Souza, Ana Carina, Cecilia Ripoll, Xico Ahbreu, Leo Miranda, Gisela de Castro, Patrick Nogueira, Gabriela Ribas

 

SERVIÇO

19º Festival Internacional de Cinema Infantil 

Programação presencial

Dia: 4 de dezembro

Horários:

10h45

  • Sessão Telecine – Os Croods 2 (sessão com audiodescrição)

11h30

  • Sessão Telecine – Os Croods 2
  • Pré-estreia:  Tarsilinha
  • Pré-estreia: Tromba Trem – O Filme
  • Pré-estreia:  Poropopó

Ingressos: Acesso gratuito por ordem de chegada, com distribuição de senhas 30 minutos antes. Sujeito à lotação

Local: Estação NET Gávea . Endereço: Rua Marquês de S. Vicente, 52 – Shopping da Gávea

Classificação etária: livre

Tel: 3875-3011

Programação online

Data: 11 a 19/12

Mais informações e programação completa, horários e acesso aos filmes:

Site: Fici.com.br

@FICIOficial

@FICIOficial

 

Fonte: Sandra Villela Assessoria


ArteCult – Cinema & Companhia

Siga nosso canal e nossos parceiros no Instagram para  ficar sempre ligado nas nossas críticas, últimas novidades sobre Cinema e Séries, participar de sorteios de convites e produtos, saber nossas promoções e muito mais!

@artecult , @cinemaecompanhia , @cabinesete ,
@cinestimado,  @cineelaw e @marimastrange

#VamosParaOCinemaJuntos

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *