“Para Seguir em Frente” – Fé e poesia viram tema da primeira mesa da Bienal do Livro Rio

Aconteceu hoje,  sexta-feira (3), o primeiro dia da Bienal do Livro Rio 2021, na Barra da Tijuca / RJ.

No primeiro dia da XX edição da Bienal Internacional do Livro Rio, a fé e a poesia foram base para a primeira mesa, que teve o tema “Para Seguir Em Frente”. O pesquisador e roteirista Pedro Alvarenga fez a mediação do bate-papo que contou com a presença dos escritores / poetas Allan Dias Castro e Bráulio Bessa, e a cantora Priscilla Alcantara.

Logo no início da conversa Allan Castro fez questão de lembrar de algo muito emocionante, aquele mesmo local, serviu como hospital de campanha para diversas vítimas do Covid-19. “ Perdi meu pai, me tornei pai durante a pandemia… Hoje, neste mesmo local, falamos sobre livros, cultura e futuro”. Seu livro mais recente é “A monja e o poeta” (Sextante), em parceria com a Monja Coen.

“A fé não é só uma parte, é a totalidade da minha experiência de vida, é um sustento.”, declarou Priscilla Alcantara sobre a fé na sua vida e no seu trabalho. A cantora também completou que não limita Deus só em experiências religiosas, mas em tudo o que faz.

Criada em uma família cristã, a cantora disse: “Tanto fé quanto arte são exercícios, e eu exerço às duas juntas, vivo essa plenitude. Toda arte que produzo é a partir da minha fé”.

O poeta Bráulio Bessa contou que teve covid e ficou estado grave na UTI e assim como na sua vida, a poesia o alimentou. “A poesia é um abraço, a arte é um abraço. A poesia tem o poder de se adaptar, assim como nossos corpos”, completou o autor.

O cordelista  que se apresenta há mais de seis anos no programa de TV “Encontro com Fátima Bernardes”, anunciou que dia 22 de dezembro estreia sua série documental  “Poesia Que Transforma”, produto original Globoplay. “A poesia é a protagonista. A protagonista é a força da poesia na vida das pessoas.”

Foto: Reprodução Bienal

No universo da fé, vários outros pontos foram abordados durante a mesa, um exemplo é a generosidade. Bráulio deixou claro seu pensamento: “A poesia é generosidade. Poesia e a fé dialogam.”

O perdão, o medo e a insatisfação também foram pontos abordados durante o bate-papo.  “A culpa pode estar no outro, mas o perdão tá sempre com a gente”, declarou Allan. O escritor ainda contou que tem muita ‘fé’ na sua cara de pau: “Não é o que eu vou ganhar com isso, mas é o que eu tenho para oferecer.”

“Eu poderia professar a minha fé em palavras, mas se eu não traduzisse em ações, minha fé seria em vão”, comentou Priscila sobre a totalidade da sua fé.

Já no fim do bate-papo Bráulio Bessa fez quase um desabafo em sua fala: “Fazer arte nesse país é um ato de atrevimento e coragem.” Ele ainda chamou atenção para o fato de que geralmente temos o costume de gostar de famoso e não gostar dos artistas.

“Viver de sonho é a profissão de vagabundo”, completou Allan.

A Bienal do Livro do Rio acontece até o dia 12 de dezembro no Riocentro, zona oeste do Rio de Janeiro.

Horários:
sextas: 9h às 22h;
sábados e domingos: 10 às 22h;
segunda a quinta: 09h às 21h;

Ingresso: R$ 40 (inteira)/ R$ 20 (meia-entrada);
Compra online: https://www.bienaldolivro.com.br/;
Compra no local: bilheterias estarão disponíveis com ingressos limitados à venda;
Protocolo: uso de máscara será obrigatório, assim como apresentação do comprovante de vacinação.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *