Casinha no Sertão: Single de Zerzil e Gabeu faz o Sertanejo ganhar cores e diversidade com o movimento “Queernejo”

Artistas LGBTQIA+ crescem e ganham visibilidade dentro de um dos principais gêneros do país

Um dos gêneros mais ouvidos do Brasil, o sertanejo vem ganhando, nos últimos tempos, uma configuração cada vez mais inclusiva. Se para muitos é difícil imaginar uma drag queen ou um artista não binárie cantando uma sofrência, uma turma poderosa de artistas se reuniu e está trabalhando diariamente para mudar esta ideia. Para o movimento chamado “Queernejo” o sertanejo não precisa ser lugar e vitrine somente para homens héteros e mulheres empoderadas, em sua maioria também héteros. Dá pra ter espaço pra todo mundo.

O Queernejo é uma espécie de subgênero dentro da potência que é o mercado sertanejo, trazendo um conteúdo com mais diversidade para um ambiente pautado pela heteronormatividade, em que o machismo e a homofobia, infelizmente, estão muito presentes.

Em 2020, com a pandemia do covid 19 impedindo a realização de shows e eventos, os artistas se uniram e produziram o Fivela Fest, primeiro festival Queernejo do Brasil. Idealizado e comandado por Gabeu (cantor, compositor e filho de um ícone do sertanejo, Solimões) e Gali Galó (cantore e compositore). Apesar de novo, o Fivela Fest já contou em sua primeira edição com a participação de diversos artistas queer. Além dos próprios idealizadores, também estavam lá Zerzil (artista não binarie), Alice Marcone (primeira mulher trans do gênero), Reddy Allor (drag queen) e Bemti.

Os lançamentos dos artistas do Queernejo estão a todo vapor. Recentemente, o coletivo foi convidado para integrar uma playlist oficial na Deezer em homenagem ao mês do orgulho LGBTQIA+. A playlist leva o nome do movimento e foi uma sugestão de parceria da própria plataforma. Todos os dias novos artistas LGBTQIA+ descobrem o movimento e se encorajam a fazer lançamentos no sertanejo. Além da parceria com a Deezer, durante toda esta semana do orgulho, o queernejo é destaque dentro da plataforma Resso, com direito a playlists criadas por todos os artistas do movimento e publicações nas redes sociais da Resso Brasil.

 

CASINHA NO SERTÃO

Confira o clipe:

Link para ouvir:

https://onerpm.link/casinhanosertao

Já está disponível nas plataformas musicais o novo single de Zerzil e Gabeu, “Casinha no Sertão”. A faixa, que também ganhou clipe, integrará o álbum “Queernejo”, de Zerzil, gravado no próprio Fivela Fest. Será o terceiro single do projeto. A inspiração para a criação de “Casinha no Sertão” surgiu durante a quarentena, enquanto Zerzil jogava Minecraft, um dos seus passatempos favoritos neste período de isolamento.

Para quem não conhece, no Minecraft os jogadores “mineram” materais da natureza para viver, construindo suas próprias casas, plantando e criando animais como galinhas, vacas, cavalos. Enquanto jogava, Zerzil – que tem origem no sertão mineiro – sentiu uma vontade enorme de voltar pra roça, viver no campo e de se refugiar com os amigos no meio da natureza.

Durante as preparações para o show do Fivela Fest, veio a ideia de convidar Gabeu para este feat. Gabeu se identificou com a letraa, que passa uma ideia de bucolismo e contato com raízes rurais.

 

Zerzil

Zerzil é cantore e compositore nascide no sertão de Minas Gerais, em Montes Claros. Atualmente vive em São Paulo. Suas canções têm como principal mote o fortalecimento da cena LGBTQIA+ e a experimentação de novos ritmos dentro do sertanejo. É um dos nomes do movimento Queernejo, ao lado de Gabeu, Gali Galó, Alice Marcone, Reddy Allor, Bemti, entre outros. Em 2018 começou a publicar vídeos caseiros com músicas sertanejas autorais no seu canal do youtube, mas seu primeiro lançamento sertanejo é o clipe de “Garanhão do Vale” (2020), uma versão de “Old Town Road”, hit de Lil Nas X. Em 2021, além de “Casinha no Sertão”, já lançou dois singles: “Ressaca” e “Meu Bigode é Grosso”.

 

Gabeu

Nascido no interior de São Paulo, na cidade de Franca, Gabeu descreve seu estilo musical como “a mistura do pop com minhas raízes”. Com dois singles lançados, o jovem artista prepara o lançamento do primeiro álbum de Queernejo para 2021, valorizando as narrativas cujo a figura heteronormativa seja questionada. “Você pode encontrar na minha playlist desde de Lady Gaga até Milionário & José Rico.”, diz o cantor sobre suas referências. Seus dois singles “Amor Rural” e “Sugar Daddy”, renderam mais de 2 milhões de visualizações no seu canal do YouTube e inúmeras matérias na mídia, levando-o para veículos de comunicação como a Folha de São Paulo, Carta Capital, G1, e para shows na região Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

 

Fonte: MuitaMidia / Peneira Musical

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *