Projete Mudanças por onde estiver!

 

Sou Mulher de Tecnologia, formei-me em Matemática , segui numa das primeiras turmas de Informática e continuei no pioneirismo em estudos de Engenharia de Software, de Banco de Dados, que atualmente tem um super valor nas análises preditivas de dados, nos negócios on-line, na inteligência artificial, internet das coisas e fundamentalmente na Segurança Cibernética e nos controles regulatórios dos usos dos nossos dados através da LGPD.

Brincamos sempre em meus grupos de amigos da UFRJ que somos a história viva da Ciência da Computação e poderíamos ser considerados jurássicos se a tecnologia não evoluísse exponencialmente, e se, para nos mantermos na ativa, com empregabilidade não devêssemos estar sempre antenados, evoluindo e conhecedores do estado da arte da tecnologia, suas ferramentas e acima de tudo sua utilidade.

Ao longo dessa trajetória de mais de 40 anos, de estudos, aprendizado e evolução contínua, sendo líder de pessoas, formando mais e mais profissionais de TI, tendo uma trajetória de implantação de projetos complexos sempre acompanhando a evolução tecnológica – da programação COBOL em mainframe, a implantação de diversos pacotes dentre eles o ERP SAP, implantando plataformas de faturamento, de análise de créditos, de garantia de receita, de CRM, de eCommerce, robôs de atendimento, e inteligência artificial, percebi muitas posturas profissionais que se repetiam, tais como:

• Desequilíbrio do número de meninas ingressando em tecnologia;
• Desistência da carreira profissional por desacreditar em valorização e reconhecimento;
• Falta de apoio das famílias, companheiros no desafio do equilíbrio entre carreira e maternidade;
• Desemprego pós licença-maternidade;
• Forte necessidade de se provar competente “apesar de ser mulher” (sim ainda se escuta isso!)
• Peso do desafio de ser liderança feminina e muitas dúvidas de se vale a pena perseverar;
• Luta muito maior das mulheres para buscar posições no topo das organizações;
• Etarismo para com as mulheres profissionais acima de 50 anos, que deixam de ter valor como investimento pelas empresas em capacitações, mestrados, viagens a serviço para eventos, etc, por não serem vistas pela empresa pelo “tempo de retorno sob o investimento”;
Agora, “fora do mundo corporativo”, atuando como empreeendedora na Projetando Pessoas e com uma forte carteira de clientes em coach de carreira, transição profissional e mentoria de liderança executiva e empresarial, num horizonte de empresas no Brasil e no Exterior, com mentorados em posições intermediárias de gestão, mas também em posições de diretoria e CLevel, em segmentos de negócio dos mais distintos: governo, telecomunicações, indústrias, plataformas de eCommerce e vendas, etc, continuo compondo uma base de análise que contribui para um contexto que decidi compartilhar aqui no Canal Cultura Profissional do Artecult, mas que também divido em grupos de profissionais em especial grupos de Networking e grupo de mulheres lideres.

O mercado ainda não é inclusivo, isso é um fato!
Existem desafios enormes para homens, mulheres, jovens, idosos, de todos os gêneros, raça, cor, religião, e isso muito se debate em diversas mídias.
As empresas, as culturas empresariais e os RHs estão cada qual com suas peculiaridades e no seu tempo, atuando para mudar a diversidade e a inclusão.
Mas se cada um de nós não estiver comprometido com a sua parte, e buscar fazer a diferença, apostando em pessoas na fase de decisão de carreira, estudantes ao sair das universidades buscando seu lugar no mercado, profissionais que se dedicam por suas carreiras e buscam valorização, feedbacks genuínos que gerem evolução constante, colaboração ao invés de competição, apostas na intergeracionalidade nas equipes de trabalho, atuação pela empatia e compaixão, pelos ambientes de trabalho com bem-estar buscando mais e melhores resultados através de motivação, engajamento, transparência e apostas por um mundo realmente ESG (ambiente/environment, sociedade, governança), não teremos luz lá no horizonte.
E como todos nós estamos na luta, buscamos empregabilidade para nós, nossas famílias e para as futuras gerações, peço reflexão e atitude para essa necessária transformação e inclusão dos jovens, dos diversos,dos idosos, pois todos temos contas a pagar e são poucos os que conseguem envelhecer com tempo, saúde, energia e dinheiro.

O que você tem feito para mudar esse cenário?

Voltando ao início do texto, como mulher de tecnologia, 60+, convido não só as mulheres, mas a todos os profissionais, a meditarem sobre:

Sobre Atração de Meninas na Formação em Tecnologia:

• Como atrair as meninas para carreira de tecnologia?
• Quais os perfis necessários?
• Aonde buscar essas meninas?
• Quais as dificuldades de atração/sabotagens que elas vivenciam?
–Questões financeiras (custos da formação);
–Questões financeiras (necessidade de trabalhar e estudar);
–Dificuldades de estudo, de aprendizagem (tempo, local);
–Falta de apoio da família, incentivo, busca de incentivadores;
• Ofertas de cursos técnicos e universitários:
–Como prepará-las para o desafio ?
–Sobre Atração de Meninas/Mulheres na Carreira de Tecnologia:
• Como introduzir as meninas/mulheres na carreira de tecnologia?
–Programas de menor aprendiz (oferta, preparação e conquista);
–Programas de estágio (oferta, preparação e conquista);
–Programas de trainee (oferta, preparação e conquista);
–Oferta do 1º emprego técnico e de nível superior;
• Preparação para o mercado – CV, perfil redes sociais, apresentação pessoal, preparação para entrevistas e dinâmicas ;

Sobre Retenção de Mulheres na carreira de Tecnologia

• Quais os motivos de desistência?
–Solidão nos desafios de ser mulher profissional:
–Falta de apoio da família, incentivos, busca de inspiração e exemplos de “sucesso”;
–Carreira e Maternidade
–A decisão de ser mãe, a idade da maternidade;
–O medo da licença maternidade e do risco de demissão;
–Você, ou sua empresa,fazem downgrade, deixam de confiar, demitem mulheres que acabaram de retornar de
licença maternidade?
–A sobrecarga de ser mãe e profissional, a culpa;
–Você, ou sua empresa, contratam ou promovem mulheres grávidas?
–Gestão de Rotina – Prioridades e Tempo
–Falta de tempo de qualidade para a mulher e seu desenvolvimento profissional;
–Pressão de equilíbrio vida pessoal x vida profissional;
–Razão de ser uma profissional de Tecnologia (o porquê, propósito, autoconhecimento);
–Dificuldades da carreira técnica x carreira de liderança/executiva, os momentos de escolha da carreira em
Y;
–O desafio do “Middle Management” e a falta de incentivo de se galgar posições executivas;
–Consciência do esforço necessário para se chegar às posições de TOPO;
–Não acreditar na equidade de gênero;
–A competição entre as mulheres – Na sua visão as mulheres se ajudam como os homens?
–Falta de reconhecimento, valorização, remuneração que justifique as dificuldades;
–Falta de garra, de força, de determinação, falta de resiliência;

Sobre o Resgate de Mulheres na Tecnologia

• Quais os motivos de estar fora do mercado de trabalho?
–Ter sido desligada e ter ficado fora do mercado:
–Auto-estima baixa, descrédito;
–Obsolescência profissional;
–Networking profissional abandonado;
–Despreparo para disputar nova posição;
–Ter escolhido empreender e não ter tido sucesso;
–Sensação de fracasso;
–Ter escolhido se dedicar a vida pessoal/maternidade e querer voltar após filhos crescidos;
–Resgate do tempo perdido;
–Etarismo – mercado expurgou a profissional;

Esse artigo é um verdadeiro “toró de idéias” e provocação do que você, do que a sua empresa, ou a empresa em que você trabalha, quer seja grande ou pequena, vivenciam esses contexto e buscam atuar para melhorar esses cenários!

E você, pode dizer que tem feito a sua parte?

Sou mentora de lideranças executivas e empreendedoras e atuo com muita garra, buscando mais e mais conhecimentos que contribuam para que os mentorados superem seus desafios com garra, sem desistir, desenvolvendo resiliência através de auto-conhecimento, trocas de vivências e debate de ideias que permitam superar as pedras no caminho.
Tenho atuado fortemente em cada um dos itens tratados nesse artigo, cada mentorado e coachee em seu momento.

Espero ter provocado em você, que me prestigiou lendo até aqui, subsídios para reflexões e decisões que contribuam para a tão necessária mudança!

Você é fundamental !

Projete Mudanças!

E conte comigo para ajudar quer seja em mentorias individuais, em time, trabalhos de diagnósticos e planos de ação para engajamento de equipes, desenvolvimento de lideranças e carreiras, palestras e encontros motivacionais.
Minha Missão é Projetar Pessoas!

Para mais artigos visite o Portal Projetando Pessoas: www.projetandopessoas.com.br

 

SANDRA PORTUGAL
Projetando Pessoas
www.projetandopessoas.com.br


Siga @projetandopessoas no Instagram

 

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Head da Projetando Pessoas há 13 anos, Empresa de prestação de serviços em coaching, mentoria de executivos e empresários, consultoria em gestão e empreendedorismo, eventos e palestras, com a missão de inspirar e desenvolver pessoas. Projetar Pessoas! Editora do Portal de Conteúdos www.projetandopessoas.com.br Matemática de formação, graduada pela UFRJ, mestrado em Engenharia de Sistemas pela COPPE-UFRJ, MBA em Gestão de Negócios (FAAP-SP) e Gestão Avançada APG – Amana Key. 38 anos de experiência em posições executivas em grandes empresas, respondendo por gestão de pessoas, governança de processos e projetos complexos, tendo atuado em projetos de Transformação Digital e inovação. Sou Coach certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching, Palestrante formada pelo INAP(Instituto de Neurociências Aplicada) com sólido portfólio de palestras realizado em eventos corporativos e workshops de liderança. Certificada Positive Practioner & Trainer pelo Instituto Felicidade é Ciência, atuo com Positive Coaching e Formação de Lideranças Positivas, baseados na Ciência da Felicidade e na Psicologia Positiva. Co-autora do Livro Liberte seu Poder, Editora Leader (2015), presença no Livro Undeterred (USA-2015) e autora de artigos periódicos em Portais de Negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *