Playlist a 3 entrevista Joyce Cândido: Muito samba, alegria e lançamentos

Joyce Cândido. Foto: Roberto Pontes.

 

Joyce Cândido nasceu em Assis, cidade do interior de São Paulo, mas cresceu em Maracaí, logo ao lado, com 14 mil habitantes. Começou a estudar música e dança na infância. Se formou em piano no Conservatório Carlos Gomes de Marília, SP. Fez Faculdade de música em Londrina, Paraná. Depois morou em Nova Iorque por três anos, onde estudou na Broadway.

“Samba Nômade” é um marco na vida da artista, que prepara o lançamento do sexto álbum de sua carreira. Composto por 10 faixas inéditas, foi produzido por 4 produtores musicais distintos: Alceu Maia, Rodrigo Campello, Fernando Merlino e Leonardo Bessa. Aí já podemos sentir os olhares diferentes para uma mesma obra, que mescla composições de vários autores e da própria cantora, alicerçados por diversas vertentes do samba. Desejam saber mais? Então, confiram a entrevista completa abaixo:

P3:O primeiro single divulgado foi “Queria Morar Num Boteco”, como foi criar o vídeo e o projeto em meio a quarentena que estamos vivendo?

Joyce Cândido: A gente tem produzido muita coisa quarentena, estamos fazendo o possível na situação que vivemos. É claro que esperavamos que fossr diferente, mas decidimos dar continuidade ao lançamento do single “Queria Morar Num Boteco”, até porque seria essa música desde o inicio. No entanto com a pandemia acabou ganhando uma nova conotação, porque de fato a gente está no apartamento ou em casa, porém querendo estar na rua, com os amigos. Lembrando que ela  foi escrita antes da quarentena mas adaptamos para esse sentimento que estamos vivendo.

Além disso, originalmente o clipe iria ser gravado em um boteco, mas decidimos fazer algo diferente cada um na sua casa e resolvi convidar alguns amigos, tendo o total de 100 pessoas participando em vários lugares do mundo: Nova York, Japão, Alemanha, entre outos e é muito bacana que misturou todo mundo e criou uma atmosfera interessante para esse momento. Trazendo o sentimento de saudade de ficar numa roda de samba, de curtir essa liberdade, que perdemos agora.

P3: Como surgiu a ideia da parceria entre você e do português António Zambujo?

Joyce Cândido: Eu admiro o trabalho do Zambujo há muito tempo e gosto bastante dele. Outro ponto, é que eu vou muito para Portugal, tenho família lá e minha prima sempre falava “Você precisa gravar com Zambujo”, então eu comecei a conhecer mais o trabalho dele.

Mas esse desejo só tomou forma quando Amauri Linhares que é nosso amigo em comum e meu empresário sugeriu esse samba “Queria Morar Num Boteco” e começamos a pensar quem poderia ser o nosso convidado especial, foi quando Zambujo entrou na história. Todos acharam uma ótima ideia, mostraram meu trabalho para ele, e ele foi super legal, aceitou e começamos o processo de gravação, criação do clipe e tudo mais.

P3: Sabemos que está vindo álbum novo por aí e pelo primeiro single podemos ver um toque moderno na melodia, gostariamos de saber quais são suas inspirações musicais para ess eprojeto?

Joyce Cândido. Foto: Roberto Pontes.

Joyce Cândido: O nome “Samba Nômade” já tem essa ideia de misturar o samba de todos os lugares do Brasil e em Portugal. Pois, o samba sempre está em crescimento no Brasil, no de São Paulo, no Paraná em todo lugar que você vá, terá uma roda de samba. No exterior vejo cada vez mais esse ritmo tomando conta.

Por exemplo, eu fui me apresentar no Japão e ao entrar em uma loja, havia um japonês aprendendo a tocar Cavaco, isso é uma coisa muito positiva para nós, pode parecer engraçado, mas ele tocava bem, teve outro caso de um rapaz que não falava nada em português, mas começou a cantar e tocar o cavaquinho e ele conseguia cantar perfeitamente. Eu acho um máximo eles gostarem, e havia uma pessoa no local que traduziu a fala dele, que dizia o quanto adorava esse estilo de música.

O meu foco central é essa mistura e dentro do projeto tem muitos compositores de várias partes do país: O pessoal de Manaus que escreveu o próximo single, tem do Belém, Minas Gerais, São paulo, Rio, entre outros. Além disso, eu adoro uma roupagem meio baiana também, por isso eu digo que é algo múltiplo, ele não terá só uma estética do moderno, vai ser  uma fusão de ritmos do samba, tudo depende do produtor, do compositor e essa reunião de diferentes pessoas de cada lugar do país.

Já estava esquecendo do forró, que também está presente no álbum, eu amo a sonoridade do acordeão, e é um instrumento que gostaria muito de aprender, porque mesmo com o toque morderno do primeiro single, boa parte do álbum vai ter esse lado regional e já até participei de um grupo de forró e toquei bastante Luiz Gonzaga.

Sendo que, no Nordeste, em Salvador é o terceiro maior público que me acompanha nas redes socias, o primeiro é São Paulo, depois Rio e vem a Bahia em terceiro, acho isso muito interessante.

P3: Pensando no futuro, o que você espera para daqui há um ano?

Joyce Cândido: Espero que a pandemia esteja finalizada e que a gente possa estar fazendo o samba no boteco ao invés de ser no apartamento e que eu esteja viajando com o meu álbum “Samba Nômade”, percorrendo as cidades do Brasil e também para outros países. Além de fazer parcerias com artistas de todas as regiões, a nossa ideia é essa.

Temos vontade de gravar com outros compositores, artistas, cantores  e músicos de várias partes do Brasil e do mundo, para mostrar a cultura do samba e espalhar por aí. Espero muito poder estar realizando isso fisicamente, ou seja presencialmente no ano que vem. Se Deus quiser!

P3: O público quer saber alguns spoilers, então nos conte quais serão os próximos lançamentos?

Joyce Cândido: O próximo single  é com a dupla: Flávio Pscarelli e o Paulo Onça e em seguida temos dois clipes vindo por aí. Além disso as músicas do álbum estão prontas, mas ainda estamos preparando a ideia dos clipes e também criando uma estratégia para nos aproximar bastante das pessoas com a nossa misturas de ritmos e mostrar que o samba é livre.

P3: A Joyce Cândido tem um recadinho especial para vocês!

Joyce Cândido: Gostaria de convidar vocês para conferir o meu trabalho e o meu novo single “Queria Morar Num Boteco”, e também para conhcer os próximos projetos. Tudo está ficando muito, então podem visitar as minhas redes sociais e escutar minhas músicas no Spotify, tenho vários álbuns esse que a gente está preparando é sexto álbum.

Além disso, no YouTube tem muitos vídeos legais, que já gravei com: João Bosco, Elza Soares, Jorge Aragão, Diogo Nogueira e vários artistas e claro não poderiam deixar de ver o meu novo clipe em parceria com António Zambujo e composição de Roger Resende: “Queria Morar Num Boteco”.

 

CONFIRAM O CLIPE DA MÚSICA “QUERIA MORAR NUM BOTECO”:

 

 

 

 

 

 

Gostaram do nosso bate papo? Então, não percam as próximas entrevistas!!

Matéria do PlayList a 3 

Visite nosso INSTAGRAM!

 

 

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

PLAYLIST A 3
A partir das conversas sobre seus artistas favoritos, bandas, histórias e bastidores do universo da música, surgiu o podcast "Playlist a Três" dos amigos Caio Costa, Jéssica Guanabara e Larissa Vale. Através de um bate papo descontraído sobre o que anda acontecendo na indústria musical, trarão informações, notícias, debates sobre assuntos relevantes, além de dicas sobre o que andamos escutando no momento. Um conteúdo exclusivo dos entendedores de música para os amantes de música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *