PAREIDOLIA: Em exposição individual Felipe Yung – FLIP – se reapropria de trabalhos iniciados em 2010 em Paris e cria um diálogo aprofundado de sua produção passada e atual

 

Felipe Yung – FLIP nos traz e envolve em sua PAREIDOLIA de interpretação significativa aos nossos estímulos visuais, com cores atraentes de recepção e associações individuais subjetivas. Um mundo aqui à parte para quem fez das ruas sua escola e formação em uma atual impalbabilidade do por ele já bem visitado figurativo.

Artistas renascentistas já costumavam usar pareidolia em pinturas e desenhos. William Shakespeare ao apresentar Hamlet demonstra sua suposta loucura ao apontar ao céu uma nuvem que está quase na forma de um camelo, depois ao mudar para uma doninha e por fim uma baleia. Salvador Dali usava intensionalmente pareidolia em seus trabalhos, muitas vezes na forma de rostos escondidos. Pareidolia esta em tudo na religião.

BCN FIESTA CAMO, 2022
Acrílica sobre linho francês 205 x 243 x 3,5 cm
80 3/4 x 95 5/8 x 1 1/8 in . Foto: Divulgação.

Nesta exposição individual Yung se reapropria de trabalhos iniciados em 2010 – 2012 em Paris e cria um diálogo aprofundado de sua produção passada e atual. Convida e apresenta a colaboração de três artistas
– Teydi Deguchi, Rachel Hoshino e DJ Mako para a instalação YUKIMEISAI em corpo unificado de espaço com pintura, costumização especializada, cerâmica e trilha sonora. O Giboshi exposto foi produzido a partir de uma peça original de madeira torneada que fazia parte ornamental do Viaduto Cidade de Osaka, no bairro da Liberdade, em São Paulo, e sua intervenção feita de forma artesanal.

Na sua contemplação imersa agora abstrata, nos traz um mundo de cor e vivacidade em referências mais tendentes a dor e perda, mas estas com vida latente. Nesta percepção aborda questões fundamentais sobre identidade x as relações humanas a partir de traços criados com base nos padrões militares de camuflagem e traz questionamento, uma reflexão intuitiva – uma alusão + alerta necessário de um apelo de NÃO guerra.

YUKI RONIN, 2022. Triumph 1200cc Custom by Teydi Degushi e Felipe Yung • Flip. Foto: Divulgação

Na Terra a subjetividade reina, pode-se ser o que não é, ver o que não está, mas concretamente, e felizmente para nós, FLIP nos presenteia com seu quimérico irreal tangente aos olhos e à imaginação dos que vêem além.

Viva a Pareidolia!

 

CONFIRA OUTRAS OBRAS DO AUTOR

 

SERVIÇO

PAREIDOLIA > PRORROGADA!!
Exposição individual de Felipe Yung na @galeria_de_babel
3a-6a > 10-19h
Sab > 11-17h
Até 18/06
Rua Estados Unidos, 2205 – jardins – São Paulo
Entrada gratuita

 

SOBRE FLIP

Felipe Yung. Foto: Divulgação.

Felipe Yung é artista paulistano e fez seu nome nas ruas, onde é mais conhecido como FLIP. Mestre dos sprays e canetões, ele inundou São Paulo por anos, aperfeiçoando sua caligrafia nos muros da cidade, como reza a tradição do graffiti. Mas FLIP também foi um dos pioneiros no Brasil a quebrar essa mesma tradição e pintar personagens soltos pela metrópole, seres gigantescos ou pequenos, em grande número, geralmente com cores bem vivas. É altamente influenciado pela cultura urbana e pelo design (arte, moda e música), árvores nativas, a história da camuflagem, pela caligrafia japonesa (Shodo) e Urbana (tags e pixação), e também pelas xilogravuras (Ukiyo-e). Você pode conferir suas artes nas ruas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Madrid, Barcelona, Los Angeles, Moscou, Londres, Paris, Osaka – Tokyo entre outros.

Atualmente vive em São Paulo, é casado e pai de Bento, de 4 anos.

Siga FLIP:

 @flipon

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *