Música: O rapper BIORKI lança hoje o single “CÉU”, com a participação de KIVITZ

Na mesma data, o artista faz o lançamento do videoclipe, que traz temática LGBTQI+

 

Chega hoje às plataformas digitais a canção “Céu”, o segundo single do rapper Biorki pela Universal Music Christian Group. A faixa conta com a participação do também rapper Kivitz, que divide com Biorki a autoria da música, que traz ainda com os beats de Rato Reverso. Ouça e baixe aquihttps://umusicbrazil.lnk.to/Ceu  .

Na mesma data, o artista também faz o lançamento do videoclipe, dirigido por Erick Garcia, que traz em seu roteiro a temática sobre pessoas de orientação LGBTQI+. O clipe foi gravado em locações nas cidades de São Bernardo do Campo e Santo André, no ABC paulista.

Assista aqui:

 

 

 

 

 

 

 

Na tarde de ontem (09), na sede da Universal Music, no Rio de Janeiro, Biorki recebeu convidados e imprensa para uma première do novo clipe. Na ocasião, o rapper falou sobre suas expectativas com o lançamento do projeto, além de apresentar um pocket show.

Assista aqui:

 

 

 

 

 

 

Biorki contou como se deu o encontro com Kivitz: “Eu o conheci num evento em Santa Catarina, mas tanto eu quanto ele já conhecíamos o trabalho um do outro. Foi engraçado porque, quando nos encontramos, descobrimos que  já recebíamos cobrança do nosso público para fazermos um som juntos. Calhou que o “Céu” favoreceu e o som tá aí!”.

Trazendo uma letra impactante, o rapper também revela qual a mensagem que “Céu” traz para seu público: “A ideia central da é que o céu tem resposta pra qualquer dilema. Queremos dizer que nesse mundo maluco em que vivemos parar para olhar e ouvir o que o céu tem a dizer é essencial”, disse Biorki.

Natural de Campinas, interior de São Paulo, Marcelo Biorki do Espírito Santo, hoje com 39 anos, iniciou sua carreira na música na década de 90, no interior paulista. Hoje conhecido apenas como Biorki, o rapper foi o fundador do extinto grupo Shekinah Rap, que teve espaço conquistado no cenário do rap nacional após o lançamento do seu primeiro disco, “Mais que Poesia” (2005). O álbum trouxe respeito ao extinto grupo na cena, mas a sua grande fase veio com o lançamento do segundo disco, intitulado “Rimas de Sangue”, cujas faixas Pro Rio” e “Qué Me Vê?”, que chegaram a ganhar videoclipes, tiveram grande repercussão no cenário do rap brasileiro. Após o encerramento do grupo e de um hiato de um ano, Biorki reaparece com um projeto paralelo ousado, a banda DigitalBomb, pela qual lançou um único disco, “7 Bilhões de Guerras”. Dessa lavra, está a canção “Foi na Cruz”, cujo   videoclipe hoje ultrapassa um milhão de views. Em julho de 2018, Biorki lançou seu primeiro trabalho solo, o disco “#simplicidade”.

Biorki  acredita que o rap pode ser também uma ferramenta de lapidação dos jovens e há aproximadamente 20 anos vem usando pelo país o hip-hop como ferramenta para isso, dentro e fora dos palcos. Por cinco anos, o cantor realizou um excelente trabalho em unidades da Fundação CASA (antiga FEBEM), em várias cidades do estado de São Paulo. O projeto “Liberdade dos Meus Versos” atende os adolescentes inseridos no sistema socioeducativo, levando a eles a arte e cultura originária das ruas, o hip-hop. Essa forte experiência teve como fruto um livro, lançado em abril de 2015 pela editora “LiteraRUA”, que tem como título o nome do próprio projeto, “Liberdade dos Meus Versos”.

No segundo semestre de 2019, Biorki  assinou contrato com a Universal Music Christian Group.  Em dezembro, o rapper apresentou a música “Cristo Sarau”. Ouça e baixe aqui: https://umusicbrazil.lnk.to/CristoSarau. Na mesma data, o cantor também fez a estreia do videoclipe da faixa, dirigido por Michel da Silva, que narra o nascimento, a história e a ressurreição de Jesus Cristo.

Assista aqui:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça a letra de “Céu”:

 Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, é de graça

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, viu? É de graça!

Água sagrada da pia

Não há nada como um dia após um péssimo dia

Piso num piso que num é terra nem Briso no aviso que avisa que o que eu preciso é de um carro

Forcas que eu mesmo me amarro, São Paulo traga o cigarro

Nascem palavras que voam e te soam como catarro

Trilha pros fatos que narro, brindando as mortes que vivo

Em velhas múmias esbarros sigo inventando motivos

Abrindo túmulos, rindo de cúmulos

Juízes súmulas, rasgo e anulo-vos ou burlo-os

Nada nas mãos fogos nos pés, respiro decibéis

A estrada do deserto é contra acúmulos

De antigo faraós a novos coronéis, golpe express

O mais caçado em campo é o dez e o nove

Poeta bom é aquele que resolve

Redesenhando a solução enquanto ela dissolve

Nunca fui fã de óvini, de cavaleiro ou ninja

Super poder, linguagem, super herói é dija

Palavra cura, é ultra violeta inverso

Que cada treva do universo a nossa luz atinja

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, é de graça

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, viu? É de graça!

Cê já olhou pro céu, e agradeceu o seu dia?

Olha quem tá do seu lado e agradece a companhia

Agradece pelo ar que o seu pulmão respira

Agradece pelas coisas simples do dia a dia

Quem não enxerga o real valor da vida

Vive reclamando não ter nada

Prefere sentar e lamber as próprias feridas

Do que festejar pela graça que foi dada

Quem não tem valor, tem preço, é verdade

Por isso tantos perdem a vida em busca de futilidades

Nunca enxergaram o seu real valor

Nunca experimentaram na verdade o que é o amor

Resumiram sua existência em apenas, ter

Morreram sem saber o que poderiam, ser

Quantos sonhos já foram interrompidos

No corre atrás de sonhos, antes já corrompidos

A vida é mais, irmão, a vida é mais

Paz, não é com dinheiro que corre atrás

Esse corre é por dentro, quieto, calado

De preferência de joelhos e olhos fechados

Silenciar… Todo tumulto de dentro

Pra poder enxergar a real beleza do momento

E ver, que a vida é muito mais do que o olho alcança

Só pela fé cê o mundo como uma criança

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, é de graça

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Mesmo não tendo tudo que sempre quis

Basta olhar pro céu pra ser feliz

Porque, é de graça, viu? É de graça!

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Daniela Fróes
Musicalmente eclética, apaixonada pela diversidade dos estilos, das festas e festivais, amante de uma boa música, principalmente das batidas eletrônicas. #Música #MúsicaEletrônica - Nunca se precisou de drogas para senti-la, a essência da batida, a sonoridade toca a alma de um jeito que não da pra ficar parado! "Quem não sente a melodia acha maluco quem dança"!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *