Gabriel Moura – Uma farofa requintada

Penso que o cara tem que se garantir muito como vocalista pra fazer contraponto à voz luxuosamente grave de um tal Seu Jorge. Era isso que acontecia com GABRIEL MOURA no Farofa Carioca, coletivo sambalançante que fez história na boemia do Rio com sua formação original.

Mas, de onde vem tanto talento, carisma e inspiração? Da sinuosidade de nossas encostas à beira-mar? Da ginga das princesas anônimas e suburbanas que se apertam no ônibus 457? A gente  só não pode ignorar o pedigree: o cara é sobrinho do saudoso maestro Paulo Moura e, como o tio, sabe conciliar o esmero na composição com a simplicidade na interpretação de verdadeiras crônicas musicais do Rio de Janeiro contemporâneo.

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Bernardo José
Sou Disc Jockey, colecionador fonográfico e pesquisador musical. Adoro pesquisar clássicos e novidades da música e compartilhar o extrato pela rede com outros aficionados. Sou um dos criadores do grupo "Dicas de Música" (https://www.facebook.com/groups/415914541899974 ) no Facebook.