Mirza, a Vampira de Eugênio Colonnese, está de volta em Sanguinária – Mirza tem que morrer.

Sanguinária de Reginaldo Carlota e Mirza de Eugênio Colonnese – arte de Gabriel Andrade JR.

Os direitos para produção da Vampira Mirza,  personagem clássica criada por Eugênio Colonnese nos anos 60, foram negociados com seus herdeiros pelo empreendedor e escritor Reginaldo Carlota com o objetivo de dar início a novos projetos.
E  ela já retorna em grande estilo no novo álbum da implacável e cruel caçadora de vampiros Sanguinária, criação de Reginaldo Carlota. O álbum “Mirza tem que morrer” está fantástico por vários motivos que enumero a seguir:
O retorno de Mirza a vampira, mais mortal que nunca:
Os roteiros de Reginaldo, que dão uma caracterização especial aos personagens;
As belas artes em preto e branco de Gabriel Andrade Jr., Edson Alves, Brandon Lee, Miguel Ângelo e Denis Dym Freitas;

Capa de Sanguinária – Mirza tem de Morrer.

A apresentação de uma nova caçadora de lobisomens de nome Malaika, que não se importa em abrir uma exceção para caçar uma certa vampira;
Enfim, são muitos os motivos para conhecer essa obra, mas aviso que as personagens são representadas de maneira violenta, afastando-as do conceito de super-heróis e trazendo para linha do terror adulto, com doses consideráveis de sadismo.
Lançado pelo selo Serial Books esse álbum em formato A-4 e impresso em papel couchê de 180 gramas.
É recomendado para os amantes de boas e sanguinárias histórias de terror com altas doses de sensualidade.

Última capa do álbum.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Adalberto Bernardino é colecionador de história em quadrinhos, apaixonado pelo gênero de Super-heróis e em especial pela produção nacional. Colabora com a divulgação de material brasileiro por meio de resenhas é artigos, que expressam o seu prazer em consumir esse material. Colabora com sites e revistas eletrônicas. Recentemente criou o personagem Conector, em produção para sua estreia como roteirista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *