Dança e Interdisciplinaridade: Performance Orgânica no SHOW INFINITO PURGATORIO

                                                                                                                        Fotografia de Franklin Cassaro

 

Quem estiver no dia 29/8, quarta – feira, no Audio Rebel em Botafogo RJ, poderá conferir o show INFINITO PURGATÓRIO (A Estranha Beleza do Caos), no qual Fausto  Fawcett  se une novamente a  Laufer e  Sergio Mekler e os Robos Efemeros para apresentar o show INFINITO PURGATORIO, cinquenta minutos de  música  guiados pela fala/texto de Fausto, acompanhada pela  escultura viva de dança flutuante criada pela dançarina Andreia Evangelista e pelo escultor Franklin Cassaro

Fausto Fawcett é cantor-compositorguitarrista rítmico, letrista, romancista, contista, dramaturgo, jornalista, ator e roteirista brasileiro, famoso por suas frequentes colaborações com o também músico Laufer e por ser um grande expoente do rap rock e da literatura cyberpunk no Brasil. A proposta do show é levar a plateia a viajar por personagens fundamentalistas surgidos das  vertigens que dominam as  paisagens sociais da  urbanóia  brasileira. Sergio Mekler e o convidado de honra Barrão tocando samplers, guitarras , distorções elêtronicas. Fabricando  Música para Espíritos Desencapados. Laufer tocando o Bumbo da Impaciência,marcando a batida da Iminência das Fúrias na cidade enorme. Autor de todas as músicas. Máquina de ritmo. Moldura pra fala incisiva e delirante de Fausto que será ,ainda ,  complementada/ atiçada  pela escultura viva flutuante.

 

 

Como um pensador multidisciplinar, a incorporação da linguagem da performance potencializa Infinito Purgatório. A Atriz, Bailarina e Coreógrafa, Andreia Evangelista nos conta um pouco de sua obra e desse encontro onde a interdisciplinaridade é o ponto de partida.

Na interferência performática, o corpo da artista pendurado a cordas pela prática do shibari é matéria prima e suporte do ato escultórico, podendo também ser chamado de performance orgânica.  Praticante a oito anos do shibariAndreia diz que este chegou até ela pela decisão de raciocinar com os pés, onde temos mais terminações nervosas e comunicação direta com todos os órgãos do corpo, e pôr a cabeça no chão, nascendo assim  sua relação com as cordas. Essa investigação vem tomando forma a três anos em parceria com o escultor  Franklin Cassaro. O corpo é abordado como material exploratório de possibilidades escultóricas estéticas, sendo como uma obra de arte que comunica imageticamente.

Não deixem de conferir!

Aqui um pouco da obra de Andreia Evangelista

 

 

RAFAELI MATTOS

Serviço

  • QUANDO-  DIA 29 DE AGOSTO QUARTA FEIRA
  • LOCAL – AUDIO REBEL     RUA VISCONDE SILVA –  BOTAFOGO ( LOGO DEPOIS DA REAL GRANDEZA DIREÇÃO HUMAITA)
  • HORARIO- 20HS
  • INGRESSO-R$20,00 REAIS

Links:

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Rafaeli Mattos
Mestre em Artes Visuais, com ênfase em dança – UFRJ (2013), Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança –UFBA/FAV 2007 e Bacharel em Dança, Intérprete e Coreógrafa, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – 2006/1. Possui formação em jazz, ballet, ballet moderno – Horton, dança contemporânea, sapateado e canto popular. Qualificada Profissional da Dança, artista-dançarina sapateadora e Instrutora de Dança, seguimento sapateado, pelo SPDRJ, atua como professora de sapateado, jazz e balé desde 2007 em diversos espaços de dança do Rio de Janeiro. Integrou a Cia de Dança Contemporânea Helenita Sá Hearp – 2004/1 a 2005/1, Cia Étnica de Dança e Teatro – 2007 a 2008, Projeto Ateliê Coreográfico do Centro Laban RJ – 2008 a 2009, Projeto de residência internacional da coreógrafa Erica Essner (Erica Essner Performance CoOp) no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro 2007 e do grupo A.C.Ho com a performance Q _ _ _ _ _ , realizada no eventro Transperformance em 2011. Como cantora atuou na Cia Nós da Dança no espetáculo Bossanossa – 2009. Foi coreógrafa residente no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro de julho de 2005 a julho de 2006, onde realizou seu primeiro trabalho autoral Chora Corpo Choro, composto pelos solos Rádio e Violão Mudo e pelo quarteto Choro na Feira. Seu segundo solo autoral Ah vai andas?! participou, em junho de 2012, em work in progress do evento Novíssimos da Ocupação Dança pra Cacilda. Em 2015 integrou o corpo de jurados dos festivais de dança Barra Dance e Barra Dance Kids. Sua oficina de Sapateado para Terceira Idade foi contemplada nos anos de 2014 e 2015 nos editais Viva a Cultura e Viva o Talento da secretaria de Cultura do RJ. Hoje atua como professora de balé e sapateado na ONG Projeto Dançarte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *