Isadora Duncan necessária

isadora2

Hoje, vamos falar sobre Isadora Duncan. Sem querer separar ou valorizar uma época da dança ou outra, e respeitando a cronologia do surgimento de cada “estilo” de dança – dança originária, ballet, dança moderna, dança contemporânea, por exemplo (veja mais no post Dança na História da Humanidade http://artecult.com/danca/danca-na-historia-da-humanidade –  todos esses estilos nasceram por meio do olhar investigativo, sensível e dinâmico de seus precursores. Com  Isadora Duncan também foi assim.

isadora4

Bailarina norte-americana (1877-1927) , Isadora era dona de um estilo de ballet único que, na época, representou uma ruptura radical com a dança clássica, criando uma nova maneira de seus bailarinos se expressarem. Evitando a rigidez do ballet, ela defendia a noção de espírito de liberdade juntamente com os altos ideais da Grécia antiga: beleza, filosofia e humanidade.

Conhecida como a “mãe de dança moderna”, Isadora Duncan revolucionou o mundo da dança nos Estados Unidos, e sua influência se espalhou para a Europa e para a antiga União Soviética. Deixando sua marca por onde passava, criando seu “estilo de dança”, ela nos revelou uma maneira totalmente nova de dançar, e isso é preservado e perpetuado até hoje por muitos bailarinos e coreógrafos.

isadora3

 

Uma de suas frases mais marcantes e muito contemporâneas é: “a arte não é necessária. Tudo o que você precisa para tornar este mundo um lugar melhor para se viver é o amor”.

E ela tinha toda a razão! Percebemos o quanto Isadora Duncan é atemporal. Afinal, a arte transgride, rompe com conceitos pré-definidos e propõem um novo olhar sobre a realidade. E assim foi com a coreógrafa.

A “nudez” marcada por temas gregos, representando uma vitalidade desinibida, além da realidade identificada pela conexão do corpo com a alma, associando temas humanos com seu trabalho e com o mundo expressados de forma simples, são apenas algumas das características que destacam a bailarina como uma das mais importantes para a História da Dança Mundial! Ela dançava sem nenhuma pretensão de vigor físico e, no entanto, era avassaladora em sentimento e expressão do humano.

 

Videos ilustrativos com suas coreografias, exemplificando uma maneira mais livre e diferente de os bailarinos se expressarem.

https://www.youtube.com/watch?v=Kq2GgIMM060

https://www.youtube.com/watch?v=XKD_erqhqyg

https://www.youtube.com/watch?v=kMpE0dt6LDU

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Marcelle Banks
Sou Marcelle Pereira Soares Banks, a.k.a Celle Banks. Sou profissional com 10 anos de experiência na área de comunicação, com passagem pelo setor acadêmico privado e público, me formei em Comunicação Social na Universidade Federal Fluminense (UFF) e fiz o curso de Dança Contemporânea na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Há 12 anos, atuo profissionalmente como Bailarina, Designer, Coreógrafa e Publicitária. Amante das Artes Culturais e Sociais, sou empreendedora e promotora da diversidade cultural. Tenho um enorme desejo de me comunicar com as pessoas e escolhi fazer isso através da dança. Gosto de compartilhar com os outros a minha paixão pela dança. Meu maior interesse é estudar a diversidade de danças através do olhar contemporâneo, das danças tradicionais às urbanas. Já me apresentei em universidades, festivais e teatros do Brasil. Nos Estados Unidos, desenvolvo atualmente um trabalho sobre a investigação de danças tradicionais brasileiras. Essas obras têm aparecido em Festivais Internacionais. Em 2015, me mudei para a Argentina e aprimorei meus estudos a partir de fontes de universidades locais, como Universidad Nacional de las Artes. Divido-me entre Buenos Aires, Des Moines, Rio de Janeiro e Florianópolis, sempre embalada na minha paixão pela família e pela dança