Erra uma vez um Deadpool

O ARTECULT foi conferir em primeira mão “ERA UMA VEZ UM DEADPOOL“, a versão “conto de fadas” do filme Deadpool 2, que será lançado dia 27 de dezembro. A idéia é que nesta temporada de férias, o público de quase todas as idades possa desfrutar o Mercenário Boca Suja repaginado através do prisma da inocência infantil.

“A Fox pediu uma versão leve de Deadpool, basicamente, desde o começo de 2006”, disse Ryan Reynolds ao Deadline.com.  “E eu disse “NÃO” desde 2006. Agora, essa única vez, eu disse “SIM” com duas condições: Primeiro, uma parte dos lucros tinha que ir para a caridade. Segundo, eu queria sequestrar Fred Savage. A segunda condição demandou algumas explicações… “

Fred Savage se junta a Reynolds no filme em uma clara homenagem ao seu papel principal clássico “A Princesa Prometida“, de 1987. Fred explicou: “enquanto a minha participação neste filme foi tudo, menos voluntária, estou feliz em saber que alguma entidade séria será a beneficiária desse dinheiro sem vergonha”.

Fred Savage e Peter Falk em “A Princesa Prometida” (1987)

A cada ingresso vendido, US$ 1 será doado para a instituição Fuck Cancer, que será rebatizada de Fudge Cancer exclusivamente para o lançamento do filme.

Como se trata do mesmo filme, apenas “repaginado”, o elenco é o mesmo, ou seja, além de Reynolds temos Josh Brolin, Morena Baccarin, Julian Dennison, Zazie Beetz, Leslie Uggams, Shioli Kutsuna.

O filme (qua aqui entre nós, são as novas cenas deste diálogo entre Deadpool e Fred Savage) tem a  mesma direção de David Leitch.

CRÍTICA

A fórmula é simples e, teoricamente, tentando minimizar os palavrões e as cenas de violência do filme original: Fred Savage, sequestrado por Deadpool, é forçado a ouvir a estória do filme Deadpool 2 como se fosse uma estória para dormir, um conto de fábulas. E aí que estão de fato os momentos mais engraçados e originais. São nestas cenas de diálogo entre Savage e Deadpool,  intercaladas nas cenas do filme original, que Fred ao comentar o que ouve, acaba sacaneando e menosprezando Deadpool , mostrando erros e gaps do roteiro do filme original, enfim,  diálogo realmente hilário, pois apontam falhas realmente gritantes e outras nem tanto que você acaba se perguntando: “é mesmo… como deixaram passar isto? que furo!…rs”

Mas estes diálogos são raros e aparecem mais no início do filme, depois o que temos é a sensação é de estar vendo novamente Deadpool 2, apenas. E, para quem já viu, fica um pouco maçante a partir daí,  pois você já sabe exatamente tudo que vai acontecer. Bem, você não deixa de se divertir, afinal Deadpool 2 tem cenas sensacionais. O problema é que você sabe tudo que virá e todo o “fator-surpresa” vai por terra, te dando aquela sensação de ter pago o ingresso para ver o mesmo filme.

O outro problema: para quem não viu o filme, os diálogos no quarto não são tão engraçados como para quem já viu.  E neste caso, você acaba perdendo alguns trechos do original.

Ou seja, você acaba perdendo nos dois casos!! A franquia deste herói então erra pela primeira vez, não “acerta a mão”.

Conclusão: para quem não viu, até vale assistir, pois Deadpool 2 é realmente um filme muito bom e engraçado. Apenas prepare-se para perder os palavrões e bons trechos do filme original… Mas se você já viu, bom… pelo menos além de se divertir um pouco novamente, saiba que estará ajudando uma instituição de caridade importante com seu ingresso.

CONFIRA O TRAILER:

 

 

 

 

RAPHAEL GOMIDE

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com e Sócio-fundador e editor do QuadriMundi. Ambos projetos da Webstaff, sua empresa. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. Nas redes sociais, administra além das páginas do ArteCult e QuadriMundi, as páginas do OlheiroMusical.com, Atuando, Dica de Vinho, Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas, Futuristiko, Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *