Filme VINTE ANOS retrata as últimas décadas de mudanças em Cuba

Um filme sobre o amor e o tempo que passa…numa Cuba onde o tempo parecia não passar.

Exibido na Mostra Internacional de São Paulo, nos festivais internacionais de Miami, Guadalajara e Havana, e com dois prêmios no Festival de Brasília 2016, o documentário Vinte Anos estreia nos cinemas, dia 26 de julho.

Após ter entrevistado 40 casais cubanos, no casting de seu primeiro curta documentário, a diretora Alice de Andrade retorna à Cuba passadas duas décadas e retrata, além das recentes transformações do país – objeto de sua longa pesquisa-, a vida de três casais que no passado se preparavam para casar-se. O que restou dessas histórias de amor? Como as mudanças da ilha afetaram as vidas de suas famílias?

 

REVIEW

O documentário é o trabalho de uma vida da diretora, uma obra visceral, emotiva, autoral. Fruto de décadas de trabalho, onde você vê, ouve e sente a emoção de Alice na telona, que  revisita Cuba em diversos momentos e através de excelente fotografia, esta obra, aliada ao primeiro filme (Luna de Miel) é praticamente um trabalho completo de antropologia de Cuba.

Você consegue entrar nas casas dos personagens envolvidos, conhecer seus costumes, seus dilemas, seus problemas, enfim, saber como se vive atualmente em Cuba .

Pela tela desfilam imagens que nos remetem ao problema social, a luta de cada família pelas suas soluções, a realidade nas ruas dos modelos automobilisticos extremamente defasados graças a anos de embargo comercial, o estado das moradias, dos prédios cubanos e suas reformas intermináveis, os complexos habitacionais abandonados…

Após uma narração realizada pela própria diretora no início, passamos a conhecers a vida de cada uma das três famílias revisitadas, a dureza de algumas escolhas que fizeram, como por exemplo a necessidade de sair da Ilha sem ter como levar uma das filhas… ou ainda, a necessidade de uma das filhas gêmeas de outro casal ter que procurar emprego em outro país da América Central para ajudar a sustentar sua família.

O filme é uma excelente oportunidade de conhecer a vida dos cubanos. Não lembro de nenhuma outra obra, pelo menos que eu tivesse visto, que entrasse tanto no dia a dia deste povo.

Percebe-se também o trabalho minucioso da diretora no processo de edição. E também da escolha das músicas incidentes, completamente relacionadas ao contexto.

E fica evidente, durante vários depoimentos colhidos, a similaridade do sentimento de “um dia vai melhorar” parecido com que temos no Brasil.

CONFIRA O TRAILER

 

 

 

 

CURIOSIDADES

Durante o “Período especial em tempo de paz”, nome oficial dado aos piores anos de relacionamento que sucederam ao fim da ajuda soviética à Cuba, 40 casais, prestes contrair matrimônio, participaram da seleção de elenco de Luna de Miel, primeiro documentário da diretora, sobre o ritual socialista do casamento.

Vinte anos depois, quando Cuba começava a pôr em prática um importante conjunto de reformas para atualizar seu modelo econômico, a diretora reencontra 3 desses casais para captar os reflexos das transformações do país em suas vidas. As entrevistas do casting são projetadas nas salas de cada família, confrontando esses homens e mulheres com suas imagens e ideias do passado.

A partir daí, a equipe passa a reencontrá-los esporadicamente ao longo de cinco anos, construindo relações de afeto e confiança capazes de captar uma crônica emotiva de suas vidas.

Vinte anos segue a luta cotidiana dessas famílias cubanas nesse momento peculiar. O filme os vê reformando suas casas, fazendo negócios como autônomos, legalizando a posse de seus imóveis. Sair do país, planejar, esperar, concretizar alguns sonhos, fracassar em outros, continua esperando… Vê as mães se desdobrando para que nada falte aos filhos, as crianças crescendo e os jovens alçando vôo. Pouco a pouco, o filme vai se tornando um mensageiro de imagens, levando cartas, vídeos e fotografias, de um lado ao outro dos exílios, reunindo por breves momentos as famílias separadas pelo oceano.

Vários dos personagens construíram as casas em que vivem, nos mutirões revolucionários. Hoje, a inércia das obras de restauração de Havana se assemelha às lentas reformas econômicas do governo, e não traz uma efetiva melhoria de vida para a maior parte da população. O filme documenta a tão ansiada abertura do país, após o restabelecimento das relações diplomáticas com os Estados Unidos.

O tema do filme é ‘Viente Años’, clássico da música cubana, eternizado por Omara Portuondo no Buena Vista Social Clube, faz parte da trilha do filme, que mereceu o Candango de Melhor trilha para Pedro Cintra (recentemente falecido) no Festival de Brasília.

O fotógrafo Alberto Korda, conhecido pelo icônico retrato de Che Guevara, ‘o guerrilheiro heróico’, feito por ele em 1960, fez as fotos de cena do primeiro curta e são outro atrativo do filme.

LE PARI BURKINABÉ (1999), 52 min., Melhor documentário no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, FICA, Goiás, (1999).

DENTE POR DENTE (1994), 23 min., fic. Melhor direção e roteiro no Festival de Brasília (1994).

LUNA DE MIEL (1993), 24 min, produzido para o Channel Four, Inglaterra e vendido para 36 países. 3° Prêmio Coral no Festival de Havana (1993). Selecionado para os festivais de Pisa, Itália, e Friburgo, Suíça.

VINTE ANOS foi desenvolvido no Atelier Documentaire da Fémis, coproduzido pela Costa Rica, com apoio do Programa Ibermédia.

Atualmente Alice finaliza a série de televisão 80 DESTINOS, ampliação do longa, que retrata 13 casais filmados em 1992 até os dias de hoje, sob o governo Trump.

 

SOBRE A DIRETORA

ALICE DE ANDRADE fez mestrado em cinema na Universidade Paris 8 e é formada em roteiro pela EICTV, Cuba.

Escreveu e dirigiu: MEMÓRIA CUBANA (2010), 71min., doc. Prêmio Especial do Júri no Festival de Fortaleza e 3° Prêmio Coral – Festival de Havana (2010). O DIABO A QUATRO (2004), 108 min., 35mm, fic. Prêmio Especial do Júri e Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Brasília (2005) ; Prêmio do Melhor Filme no Festival de Cinema Brasileiro de Israel ; 3° lugar no Festival Internazionale Delle Donne, Turim, Itália; Prêmios de Melhor Filme, Roteiro, Diretor, Atriz e Som em Cuiabá. Selecionado em Rotterdam, Rio, São Paulo, Créteil, Fribourg, Pésaro, Buenos Aires e Montevidéu.

 

SOBRE A ARTHOUSE

A ArtHouse é uma distribuidora dedicada ao cinema de autor que traz em seu catálogo filmes como “A Erva do Rato” e “Educação Sentimental”, de Julio Bressane, “A História da Eternidade”, de Camilo Cavalcante, “Big Jato”, de Cláudio Assis, “Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos e muitos outros longas-metragens que se destacaram no circuito de festivais dentro e fora do país, como os Festivais de Rotterdam, Locarno, Roma, Festival do Rio e Festival de Brasília.

Os mais recentes lançamentos incluem: “A Família Dionti”, de Alan Minas, vencedor do prêmio de público no Festival de Brasília; “Introdução à Música do Sangue”, de Luiz Carlos Lacerda; “Love Film Festival”, de Manuela Dias, e “Um Filme de Cinema”, de Walter Carvalho.

Com um foco no cinema nacional de arte, e consciente da importância da comunicação eficaz com o público, a distribuidora ArtHouse ajuda a preencher uma lacuna no setor, dando visibilidade em salas de cinema a toda uma produção brasileira de imensa qualidade e reconhecimento internacional que enfrenta sérias dificuldades de chegar ao espectador. Em 2018, a ArtHouse continua seu crescimento no mercado brasileiro de cinema, apresentando uma carteira diversa, onde se destacam “Canastra Suja”, protagonizado por Bianca Bin e Adriana Esteves, “O Beijo no Asfalto“, longa de Murilo Benício e estrelado por Lázaro Ramos e Débora Falabella, e ”Domingo”, novo filme de Fellipe Barbosa e Clara Linhart, com Camila Morgado e Chay Suede.

Fotos da Pré-estreia no Estação NET Botafogo (Rio):

 

A atriz, cantora, compositora e bailarina Katia Bronstein convida os seguidores do ArteCult a ver este documentário de Alice de Andrade:

 

Se você quer conhecer Cuba do ponto-de-vista dos moradores da ilha, não perca Vinte Anos!

Um abraço,

RAPHAEL GOMIDE

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com, Sócio-fundador e editor do QuadriMundi, ambos projetos da Webstaff, sua empresa que está sendo estruturada e que também gerencia outros portais como o BandasNovas, OlheiroMusical, Bullyng nas Escolas, Reação Adversa e CasarOnLine. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. No Facebook, administra vários grupos tais como Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas , além das páginas Futuristiko (sócio-fundador), Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (app em desenvolvimento para a comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *