FÚRIA EM ALTO MAR: Gerard Butler tenta salvar o presidente americano numa batalha naval

Baseado no livro ‘Firing point‘, segundo de uma série de thriller submarinos de George Wallace e Don Keith, ‘Fúria em alto mar‘ (Hunter Killer), que estreia nesta quinta-feira, 25 de outubro, mostra a Rússia no meio de um golpe de Estado, enquanto os Estados Unidos não mede esforços para que uma outra guerra mundial ecloda.

No filme vemos Gerard Butler no papel de Joe Glass, um capitão da marinha americana no comando de um submarino pela primeira vez, o Arkansas, numa missão que acaba se transformando em uma ação de resgate do presidente russo, mantido refém pelo seu ministro da defesa.

Contendo partes na superfície, onde podemos ver a movimentação política tanto russa quanto americana da trama, além do trabalho da equipe de resgate do presidente, e partes no mar, que mostra todo o avanço do Arkansas por águas russas, o filme se destaca entre outros de guerra por conseguir um equilíbrio muito bom nos dois núcleos entre a tensão das cenas mais críticas e a ação das mais intensas, além da boa separação e passagem entre as partes.

Sem grandes reflexões profundas sobre o terror de uma guerra, o filme prende o telespectador com a dinâmica do desenvolvimento da narrativa e conquista pela boa atuação dos atores principais. Butler se encaixou bem no papel e consegue transmitir plenamente as emoções do capitão. Gary Oldman, outro grande nome do filme, interpreta com  desenvoltura seu personagem (o principal assessor militar do presidente), apesar de não se sobressair, devido à contribuição do seu personagem para o filme.
O filme faz ainda uma homenagem ao brilhante Michael Nyqvist, que interpretou um capitão russo mantido refém no Arkansas, que acaba colaborando com Glass na missão. O ator faleceu antes da estreia do filme, em 27 de Junho de 2017, devido um câncer no pulmão.
 Confira o trailer:

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Stephanie Miranda
Carioca, 19 anos, estudante de engenharia, colecionadora de canhotos de ingresso de cinema e apaixonada pela Sétima Arte. Seja na telinha do meu celular ou nas telonas dos cinemas, assistir filmes é uma verdadeira paixão. Pra mim, cinema é uma das mais belas formas de arte. O modo como integra todas as outras artes é simplesmente mágico, como me faz viajar e me teleporta para outras realidades, como me envolve, me intriga, me emociona... Seja sozinha ou com amigos, cinema é sempre uma boa opção pra sair, mas se o assunto é ficar em casa, por que não maratonar aquela série? Tenho aqui no ArteCult a chance de compartilhar minhas impressões sobre um pedaço desse mundo maravilhoso e, assim, espero poder fazer vocês sentirem um pouco do que senti, e também sentir um pouco do que vocês sentiram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *